19 de julho de 2018, 15h26

Luiz Estevão e Geddel são transferidos para ala de segurança máxima da Papuda

Políticos ficarão presos em celas individuais e a decisão foi tomada depois de denúncias de que eles têm regalias dentro do presídio

Não é a primeira vez que o ex-senador Luiz Estevão vai parar no isolamento – Foto: Divulgação/PRTB

Luiz Estevão, ex-senador pelo PMDB-DF), e Geddel Vieira Lima, ex-ministro do MDB-BA, que estão presos no Complexo da Papuda, em Brasília, tiveram de ser transferidos, nesta quinta-feira (19), para a ala de segurança máxima do presídio, segundo reportagem de Mara Puljiz, do G1.  A decisão da Vara de Execuções Penais do DF foi tomada depois de denúncias que davam conta de privilégios e regalias nas celas.

Estevão e Geddel ficarão em celas individuais e o banho de sol também passa a ser individual. A ideia é que eles não tenham mais nenhum contato com outros detentos. No mês de junho, a Polícia Civil do Distrito Federal fez buscas nas celas onde ambos estavam encontrou barras de chocolate, anotações que seriam de Geddel e pelo menos cinco pendrives, supostamente, de Luiz Estevão.

Não é a primeira vez que Justiça do Distrito Federal determina que o ex-senador fique isolado no Complexo da Papuda por “falta disciplinar”. No mês de janeiro de 2017, uma revista na cela do empresário e na cantina do bloco encontrou “diversos itens proibidos, tais como cafeteira, cápsulas de café, chocolate, massa importada, entre outros”.