Imprensa livre e independente
01 de março de 2019, 18h10

Lula: “Deveria ser proibido um pai enterrar o filho, um avô enterrar o neto”

De acordo com a deputada federal Gleisi Hoffmann, que visitou Lula depois da notícia do falecimento de seu neto, o ex-presidente está "muito abalado" e chorou várias vezes; petista aguarda confirmação da Justiça para ser liberado e comparecer ao sepultamento

Foto: Ricardo Stuckert
Preso em Curitiba desde abril do ano passado, o ex-presidente Lula afirmou, na tarde desta sexta-feira (1), que “deveria ser proibido um pai enterrar o filho, um avô enterrar o neto”. A fala do petista foi retransmitida pela deputada federal Gleisi Hoffmann (PT-PR), que o visitou na superintendência da Polícia Federal em Curitiba já após a notícia do falecimento de Arthur, seu neto de 7 anos. De acordo com Gleisi, Lula está bastante “emocionado e abatido” e teria chorado por várias vezes. “Nunca esperaria uma notícia como essa”, disse, segundo a deputada federal. Gleisi informou, ainda, que neste momento a...

Preso em Curitiba desde abril do ano passado, o ex-presidente Lula afirmou, na tarde desta sexta-feira (1), que “deveria ser proibido um pai enterrar o filho, um avô enterrar o neto”. A fala do petista foi retransmitida pela deputada federal Gleisi Hoffmann (PT-PR), que o visitou na superintendência da Polícia Federal em Curitiba já após a notícia do falecimento de Arthur, seu neto de 7 anos.

De acordo com Gleisi, Lula está bastante “emocionado e abatido” e teria chorado por várias vezes. “Nunca esperaria uma notícia como essa”, disse, segundo a deputada federal.

Gleisi informou, ainda, que neste momento a Justiça do Paraná discute com autoridades policiais a logística do deslocamento de Lula para que ele possar exercer o direito previsto na Lei de Execução Penal para ir ao velório de seu neto.

A PF e o Ministério Público Federal (MPF) já concederam a autorização. Lula e seus advogados aguardam, agora, uma posição oficial da juíza de Execução Penal, Carolina Lebbos.

 

Veja também:  Moro caiu na própria armadilha quando defendeu vazamento de telefonema entre Lula e Dilma no Programa do Bial

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum