22 de agosto de 2018, 16h02

Lula envia carta a radialista de Sergipe: “Falarei com a voz do povo brasileiro”

“Enquanto a Globo censurar a minha campanha, cada um de vocês será a minha campanha. Somos e seremos milhões de Lulas, caminhando livres e dizendo bem alto qual o país que nós queremos”, destaca o ex-presidente, ao final da mensagem a George Magalhães, da Fan FM

Foto: Ricardo Stuckert

O ex-presidente Lula aproveitou a passagem por Sergipe de Fernando Haddad, seu candidato à vice-presidência da República, para enviar uma carta ao radialista George Magalhães, da rádio Fan FM. Entre outras mensagens, ele diz: “Enquanto eu não puder soltar a minha voz, que tá aqui presa na garganta, eu falarei com a voz do povo brasileiro”.

Acompanhe a íntegra da carta de Lula

Caro George Magalhães.

Queridas e queridos ouvintes da Fan FM.

Como todos vocês sabem, uma das coisas que mais gosto de fazer nessa vida é conversar. Viajar pelo Brasil afora, escutando e falando com o povo. Olhando dentro do olho de cada um e abraçando todo mundo. Infelizmente, uma condenação injusta, sem nenhuma prova de qualquer crime cometido, me transformou em preso político em Curitiba.

Não satisfeitos em me prender, meus adversários querem também me amordaçar, numa arbitrariedade contestada até pela ONU. Sim, a Organização das Nações Unidas exigiu que o Estado brasileiro faça valer o meu direito de ser candidato a presidente e de fazer campanha. Eu espero que a Justiça, que durante a perseguição movida contra mim provou que não cumpre as leis deste país, cumpra pelo menos os tratados internacionais assinados pelo Brasil.

Os golpistas que tomaram de assalto a Presidência querem impedir o povo brasileiro de ver a minha imagem e de ouvir a minha voz. Mas eles jamais conseguirão apagar a memória do povo brasileiro, jamais conseguirão impedir o povo brasileiro de se lembrar de mim. De reconhecer o que fiz de bom por Sergipe, pelo Nordeste e pelo Brasil, governando para todos, mas principalmente para a parcela mais necessitada da nossa população.

Da última vez que estive com você, meu caro George, durante minha caravana por Sergipe, eu disse que durante os governos do PT o Brasil tinha virado uma espécie de pop star, uma celebridade admirada no mundo inteiro. O Brasil parecia ter finalmente se encontrado com o seu futuro. Mas, de repente, com o golpe, o país desandou.

Pois é justamente para colocar o Brasil novamente nos trilhos do crescimento econômico, com geração de emprego e distribuição de renda, que sou mais uma vez candidato a presidente. E enquanto eu não puder andar por este país, eu andarei com as pernas do meu candidato a vice, Fernando Haddad, o melhor prefeito da história de São Paulo e o melhor ministro da Educação que este país já teve.

Enquanto eu não puder soltar a minha voz, que tá aqui presa na garganta, eu falarei com a voz do povo brasileiro. Enquanto a Globo censurar a minha campanha, cada um de vocês será a minha campanha. Somos e seremos milhões de Lulas, caminhando livres e dizendo bem alto qual o país que nós queremos.

Um abraço ao povo sergipano, e até breve.

Luiz Inácio Lula da Silva, candidato a presidente do Brasil.

Com informações do site do PT