14 de dezembro de 2018, 22h01

Lula lamenta morte de Eunice Paiva: “Exemplo de coragem”

Viúva de Rubens Paiva, assassinado pelo regime militar em 1971, Eunice morreu no dia em que a promulgação do AI-5 completou 50 anos; Lula escreveu carta para os familiares. Leia

Reprodução

Eunice Paiva, símbolo do combate à ditadura do regime militar, morreu nesta quinta-feira (13), em São Paulo, aos 86 anos. Esposa de Rubens Paiva, ex-deputado cassado em 1964 e desaparecido após ser preso, torturado e assassinado pela ditadura militar no Rio de Janeiro no início de 1971, Eunice passou anos lutando para conseguir lutou pela busca sobre o paradeiro do marido.

Nesta sexta-feira (14), foi divulgada uma carta de pesar do ex-presidente Lula aos familiares. “A  luta de Eunice para esclarecer os fatos, enquanto teve forças para fazê-lo, foi um exemplo de coragem que nos estimulou nas lutas pela Anistia e pela redemocratização do país”, escreveu o petista, preso desde abril em Curitiba.

Leia a íntegra.

Soube, com muita tristeza, da morte da advogada Eunice Paiva, no mesmo dia em que se completaram os 50 anos do AI-5. O assassinato de seu marido, o deputado Rubens Paiva, mostrou ao mundo a brutalidade dos torturadores. O desaparecimento de seu corpo provou sua covardia.

Mas a luta de Eunice para esclarecer os fatos, enquanto teve forças para fazê-lo, foi um exemplo de coragem que nos estimulou nas lutas pela Anistia e pela redemocratização do país.

Jamais me esquecerei do discurso do doutor Ulysses na proclamação da Constituição, em 1988: “A sociedade foi Rubens Paiva, nãos os facínoras que o mataram”. Meus sentimentos aos filhos e aos muitos amigos da família Paiva.

Luiz Inácio Lula da Silva”