13 de junho de 2018, 18h03

Lupa recua em novo texto, mas não se retrata com Fórum, DCM e 247

Agência de checagens, que havia classificado como fakenews as notícias de Fórum e outros veículos sobre o terço enviado pelo Papa Francisco a Lula, volta atrás diante da carta do consultor do pontífice a desmentindo, mas não se retrata com os veículos que difamou

Foto: Reprodução/Twitter Agência Lupa

A Agência Lupa, site de checagens ligado à revista Piauí, UOL e Folha de S. Paulo, divulgou uma nova nota em que recua com relação à “checagem” que fez sobre o terço abençoado e enviado por Papa Francisco a Lula.

Na terça-feira (12), a agência publicou uma matéria que classificava como fakenews a notícia repercutida por Fórum, DCM, Brasil 247 e outros veículos, baseada em uma informação divulgada pela equipe de comunicação do ex-presidente Lula, sobre a vinda do consultor do Vaticano, Juan Grabois, ao Brasil, que tinha como intuito entregar a Lula um terço abençoado pelo Papa e levar ao petista as palavras do pontífice. Para classificar a informação como falsa, a agência utilizou apenas uma nota do site ‘Vatican News’ que negava a relação do Papa com o terço e afirmava que a visita de Grabois tinha cunho meramente pessoal, e que o consultor era, na verdade, um ex-consultor. Como a Agência Lupa tem uma parceria com o Facebook para a checagem de notícias, Fórum e os outros veículos que difundiram a informação foram notificados pela rede social com uma ameaça de censura.

Leia também
O rosário do Papa, a Agência Lupa e a censura 2.0

Algumas horas depois, no entanto, o site Vatican News, base para a “checagem” da Lupa, apagou a primeira nota e divulgou um novo texto, informando que Grabois é, sim, consultor do Papa. Como se não bastasse, nesta quarta-feira (13), o próprio Grabois divulgou em seu Facebook uma carta encaminhada ao ex-presidente Lula em que esclarece a situação e diz, com todas as letras, que esteve com o pontífice em maio e que trouxe consigo ao Brasil um rosário enviado e abençoado pelo próprio pontífice. Ele esclarece na carta que partiu dele o pedido para que o Papa abençoasse o terço, mas deixa explícita a relação do líder do Vaticano com a lembrança e o interesse do Papa Francisco com a situação de Lula.

Diante da carta do consultor, que derruba a tese de fakenews da Lupa, a agência atualizou sua matéria e informou que retirou a classificação de “falso” da notícia e alterou para “de olho”, já que estariam aguardando um posicionamento oficial do Vaticano. Na atualização, no entanto, a agência não se retratou com os veículos que classificou como disseminadores de fakenews e nem mesmo mencionou que sua “checagem” errônea culminou em uma notificação do Facebook a esses veículos. A nota se limita a dizer que a agência suspendeu “as classificações que haviam sido feitas, relativas a esse assunto, no projeto de verificação de notícias do Facebook”. A atualização da Agência Lupa está disponível aqui.