15 de dezembro de 2018, 10h34

Machismo: Fernanda Lima desmente jornalista que a acusou de ter dado “chilique” na Globo

Fernanda Lima apontou o machismo de Ricardo Feltrin e classificou como fake news a coluna que a acusou de ter dado "chilique" na Globo por conta da presença de Eduardo Costa, que a xingou após um discurso feminista em seu programa; "Colega, sua fonte sequer me conhece e muito menos é próxima"

Reprodução

Fernanda Lima, apresentadora do programa “Amor e Sexo”, da Globo, usou sua conta no Instagram, nesta sexta-feira (14), para dar esclarecimentos sobre o processo que abriu contra o cantor Eduardo Costa e para desmentir o jornalista Ricardo Feltrim.

A apresentadora entrou com uma ação por calúnia, injúria e difamação contra o sertanejo e não aceitou o pedido de desculpas feito no “Programa do Bial”, também da Globo. Em novembro, Fernanda Lima fez em seu programa um discurso contundente contra o machismo e o conservadorismo e foi atacada por Eduardo Costa em uma postagem nas redes sociais. O cantor chegou a chamar a apresentadora de “imbecil” e disse que “a mamata vai acabar”.

No dia 1 de dezembro, então, o jornalista Ricardo Feltrin, em sua coluna no UOL, informou que “fontes próximas” contaram que Fernanda Lima “deu chilique” ao ver Eduardo Costa na Globo. A notícia foi reproduzida por dezenas de sites.

“Colega, sua fonte sequer me conhece e muito menos é próxima. Quando tudo isso se deu, eu estava em um retiro de meditação, incomunicável por dois dias, e só fiquei sabendo dos acontecimentos quando cheguei em casa e minha assessoria me mandou a sua coluna”, escreveu a apresentadora. E prosseguiu: “Ricardo, essa é outra forma que o machismo estrutural usa para desqualificar uma mulher quando ela é vítima. É simples dizer que ela é louca, descompensada, dá chiliques, logo não tem razão nenhuma sobre os fatos. Inclusive, Ricardo, esse era o tema principal do Programa Amor e Sexo que gerou tanta polêmica”.

Essa é a primeira vez que Fernanda Lima se pronuncia publicamente sobre o assunto.

Confira a íntegra de seu esclarecimento.

“Em tempos de fake news é melhor esclarecer os fatos.

– Sobre o Sr. Eduardo Costa:
Depois de ser difamada, agredida e ameaçada por ele através de um post indignado, procurei orientação jurídica a fim de proteger a mim e a minha família. Fui orientada a processá-lo, pois dessa forma inibiria agrssões futuras. E assim o fiz.

Após eu autorizar o processo, o Sr. Eduardo Costa pediu desculpas através de outros programas a que foi convidado, deixando claro que não se arrepende do que disse e sim da forma como disse. Tendo em vista que ele me agrediu moralmente, me ameaçou, incitou o ódio de seus fãs contra mim (ontem mesmo minha assessoria recebeu telefonema de um fã dele me ameaçando) e atacou o meu trabalho, não entendo que pedido de desculpas é esse. Além disso, um pedido de desculpa verdadeiro pode até ser louvável, mas ele não repara o mal que fez a vítima.

Faz parte do machismo estrutural transformar a vítima em ré. Era justamente esse o assunto do programa Amor e Sexo que tanto indignou o meu agressor.

– Quero também esclarecer sobre nota do jornalista Ricardo Feltrin.
Meu caro colega, me desculpe a intimidade, mas como também sou jornalista tomei a liberdade. Diante dos fatos relatados acima e depois de uma entrevista que o Sr. Eduardo Costa concedeu ao nosso colega Pedro Bial, o senhor publicou (e muitos veículos, sem checar a veracidade de sua nota, replicaram) que “fontes” muito próximas relataram que eu teria dado um “chilique” e que eu teria ficado “possessa” e até teria pegado “ranço” do Pedro Bial por ter entrevistado o cantor.

Colega, sua fonte sequer me conhece e muito menos é próxima. Quando tudo isso se deu, eu estava em um retiro de meditação, incomunicável por dois dias, e só fiquei sabendo dos acontecimentos quando cheguei em casa e minha assessoria me mandou a sua coluna. Outra inverdade da sua última nota sobre mim é que eu fracassei ao tentar fazer com que o Sr. Eduardo Costa não fosse mais convidado por outros programas da TV Globo.

Pois, para seu conhecimento, não tenho ingerência sobre a escolha de convidados da emissora (com exceção do Amor e Sexo).

Ricardo, essa é outra forma que o machismo estrutural usa para desqualificar uma mulher quando ela é vítima. É simples dizer que ela é louca, descompensada, dá chiliques, logo não tem razão nenhuma sobre os fatos. Inclusive, Ricardo, esse era o tema principal do Programa Amor e Sexo que gerou tanta polêmica.

– Viu como é importante falarmos e sabotarmos essa engrenagem machista? Conto contigo..

Fernanda Lima”

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

ESCLARECIMENTO. Passe com o dedo a galeria de fotos desse post para ler.

Uma publicação compartilhada por Fernanda Lima (@fernandalimaoficial) em