Seja Sócio Fórum
20 de agosto de 2018, 08h53

Maduro corta cinco zeros na moeda venezuelana

Medida tem como objetivo tentar conter a inflação prevista para 1.000.000% neste ano no país

Nicolás Maduro. Foto: Elza Fiúza/ABr
O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, instaura nesta segunda-feira (20), o “Madurazo”, um pacote de medidas, entre elas o corte de cinco zeros da moeda local que passa a se chamar bolívar soberano, para tentar conter a inflação prevista para 1.000.000% neste ano no país. No domingo (19), os serviços bancários online e os caixas eletrônicos pararam de funcionar na Venezuela. O apagão bancário já estava previsto para adequar o sistema monetário do país às mudanças na economia. O presidente disse que a reforma irá vincular o bolívar à criptomoeda petro, recém-lançada pelo Estado, sem fornecer detalhes. Maduro aumentou o salário mínimo em 34 vezes na sexta-feira...

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, instaura nesta segunda-feira (20), o “Madurazo”, um pacote de medidas, entre elas o corte de cinco zeros da moeda local que passa a se chamar bolívar soberano, para tentar conter a inflação prevista para 1.000.000% neste ano no país.

No domingo (19), os serviços bancários online e os caixas eletrônicos pararam de funcionar na Venezuela. O apagão bancário já estava previsto para adequar o sistema monetário do país às mudanças na economia.

O presidente disse que a reforma irá vincular o bolívar à criptomoeda petro, recém-lançada pelo Estado, sem fornecer detalhes.

Maduro aumentou o salário mínimo em 34 vezes na sexta-feira (17). O valor passará de 5.196.000 bolívares (US$ 20,8 no câmbio oficial ou US$ 1,3 no câmbio paralelo) para 180.000.000 bolívares (US$ 728 ou US$ 45,5). Os valores, segundo o presidente, serão pagos já em bolívar soberano.

O governo anunciou também o fim de subsídios que fazem do preço da gasolina na Venezuela o menor no mundo.

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum