Imprensa livre e independente
13 de dezembro de 2018, 07h31

Maior responsável pela criminalização da política, Aécio se vitimiza em último discurso no Senado

Moro brinca com Aécio Neves (PSDB), acusado de corrupção
O ex-presidente do PSDB Aécio Neves (PSDB-MG) foi à tribuna do Senado ao final da tarde de ontem para fazer o seu último discurso no mandato de senador. Ao invés de realizar um balanço honesto abordando o que sua sanha persecutória contra o PT e a ex-presidenta Dilma causaram preferiu a tática dos covardes. E disse estar vivendo dias duros. “Eu tenho vivido dias extremamente difíceis, vocês podem imaginar, mas eu não perco a minha fé “, afirmou em um discurso de 20 minutos.. Se você gosta da Fórum, nos ajude a implantar uma Sucursal em Brasília. Clique aqui Aécio também comentou a...

O ex-presidente do PSDB Aécio Neves (PSDB-MG) foi à tribuna do Senado ao final da tarde de ontem para fazer o seu último discurso no mandato de senador. Ao invés de realizar um balanço honesto abordando o que sua sanha persecutória contra o PT e a ex-presidenta Dilma causaram preferiu a tática dos covardes. E disse estar vivendo dias duros.

“Eu tenho vivido dias extremamente difíceis, vocês podem imaginar, mas eu não perco a minha fé “, afirmou em um discurso de 20 minutos..

Se você gosta da Fórum, nos ajude a implantar uma Sucursal em Brasília. Clique aqui

Aécio também comentou a gravação da conversa entre ele e Joesley em que pede R$ 2 milhões sob o pretexto de pagar advogados.

“Cometi um erro na minha vida pelo qual me penitencio todos os dias, de ter, já numa história armada por esse cidadão, para se ver livre dos inúmeros crimes que havia cometido, aceitei, por sugestão dele, participar de uma conversa em contrapartida à oferta de um apartamento da minha família que havia sido feita e —ele reconhece isso em seus depoimentos— ele se oferece para me ajudar a pagar os meus advogados da forma que ele achou mais adequada”, disse.

Veja também:  “Dallagnol é uma marionete do Departamento de Justiça dos EUA”, diz Lula

Como se não tivesse nada a ver com tudo que está acontecendo no país. E como se não tivesse sido ele o político que mais incitou a Lava Jato a atuar de forma política e persecutória, Aécio ainda alertou seus pares.

“Quero reiterar a cada companheiro que aqui está que fiquem atentos porque o que se busca, na verdade, dando voz e credibilidade ao que diz o senhor Joesley, repito, cuja delação foi questionada pela PGR [Procuradoria-Geral da República] pelas suas mentiras e pelas suas omissões, nós estamos seguindo um caminho para absolver o culpado e condenar o inocente. E sei que este não é o papel da Justiça brasileira”, afirmou Aécio.

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum