Imprensa livre e independente
14 de dezembro de 2018, 14h57

Marcelo Freixo: “Bandidos querem matar defensores de Direitos Humanos”

Para parlamentar, que vai manter a escolta que o acompanha há 10 anos em Brasília, há uma concepção errada de segurança pública: "Defensor de Direitos Humanos não é defensor de bandidos".

Reprodução/Twitter
Em entrevista coletiva realizada nesta sexta-feira (14) na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), o deputado estadual – e federal eleito -, Marcelo Freixo (PSol) afirmou que existe hoje no Brasil uma concepção de segurança pública que atrapalha a própria segurança pública. “Defensor de Direitos Humanos não é defensor de bandidos. Ao contrário, bandidos querem matar os defensores de DH, como ficou comprovado”, disse, sobre a ameaça de morte contra ele descoberta pela Polícia Civil nesta quinta-feira (13). Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais Freixo afirmou...

Em entrevista coletiva realizada nesta sexta-feira (14) na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), o deputado estadual – e federal eleito -, Marcelo Freixo (PSol) afirmou que existe hoje no Brasil uma concepção de segurança pública que atrapalha a própria segurança pública.

“Defensor de Direitos Humanos não é defensor de bandidos. Ao contrário, bandidos querem matar os defensores de DH, como ficou comprovado”, disse, sobre a ameaça de morte contra ele descoberta pela Polícia Civil nesta quinta-feira (13).

Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

Freixo afirmou que vai manter em Brasília a escolta policial que o protege há 10 anos – desde que liderou a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre as milicias do Rio. “Isso não é privilégio. As ameaçasque recebi foram todas oriundas do trabalho público que exerço. E é preciso ter confiança, essa escolta está comigo há 10 anos”.

Veja também:  Talíria Petrone vai a escritório da ONU denunciar política de segurança pública de Witzel

Segundo o parlamentar, ele não conhece as pessoas citadas no relatório da Polícia Civil, que detalha os planos para assassiná-lo. De acordo com o relatório, um policial militar e dois comerciantes estariam planejando o assassinato de Freixo. Eles teriam ligação com um grupo de milicianos da Zona Oeste do Rio, o mesmo que é investigado pelo assassinado de Marielle Franco.

Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

Para ele, a ameaça “é contra a democracia” e não apenas contra sua vida. “Nesse sentido, a morte da Marielle precisa ser esclarecida. Quem matou nós já sabemos. Mas por que matou? Qual a razão? Que grupo político é esse? Que razão política é essa?”, disse ele, ressaltando que “milícia é máfia”.

“Está na estrutura do poder e para enfrentar milicia tem que ter vontade política para isso”.

Agora que você chegou ao final deste texto e viu a importância da Fórum, que tal apoiar a criação da sucursal de Brasília? Clique aqui e saiba mais

Veja também:  Justiça para Lula: Delator nunca disse que triplex foi entregue ao ex-presidente

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum