18 de junho de 2018, 08h10

Márcia Tiburi lança pré-candidatura ao governo do Rio pelo PT e prega união das esquerdas

Filósofa vai disputar a preferência do eleitorado fluminense na eleição de outubro

Foto: Reprodução / Facebook/PT
A filósofa Marcia Tiburi lançou neste domingo a pré-candidatura ao governo do estado do Rio de Janeiro com um discurso a favor das mulheres e da união das esquerdas. Durante os pouco mais de dez minutos que falou a lideranças do partido como Lindbergh Farias e benedita da Silva, a nova filiada do Partido dos Trabalhadores não citou em nenhum momento o PSOL, pelo qual era filiada até o final do ano passado. Contudo, ela pregou a união das esquerdas e foi o saudada com gritos de “O Partido é das Trabalhadoras” A candidatura de Márcia Tiburi ganhou força depois...

A filósofa Marcia Tiburi lançou neste domingo a pré-candidatura ao governo do estado do Rio de Janeiro com um discurso a favor das mulheres e da união das esquerdas. Durante os pouco mais de dez minutos que falou a lideranças do partido como Lindbergh Farias e benedita da Silva, a nova filiada do Partido dos Trabalhadores não citou em nenhum momento o PSOL, pelo qual era filiada até o final do ano passado. Contudo, ela pregou a união das esquerdas e foi o saudada com gritos de “O Partido é das Trabalhadoras”

A candidatura de Márcia Tiburi ganhou força depois de o primeiro indicado para ser cabeça de chapa, o ex-ministro Celso Amorim, ter o nome indicado para vice na chapa presidencial do PT. Márcia já havia conquistado o apoio da ala jovem do partido. Em um manifesto publicado no Facebook, lideranças afirmavam que a filósofa era o nome ideal no estado para novamente engajar a militância em torno de uma candidatura.

Em pesquisa divulgada em maio pelo instituto Paraná Pesquisas, Amorim amargava apenas a sétima posição com pouco mais de 3% da preferência dos eleitores. O senador Romário (Podemos) lidera a corrida para o governo do Rio com 24,8%, seguido pelo ex-prefeito Eduardo Paes que migrou do PMDB para o DEM (13,5%).

Márcia Tiburi é autora dos livros “O Ridículo Político e “Como Conversar com um Fascista”. Em um episódio recente que viralizou nas redes sociais, ela deixou o estúdio de uma rádio gaúcha ao se perceber de frente com o líder do Movimento Brasil Livre (MBL), Kim Kataguiri. “Não falo com pessoas que são indecentes, que são perigosas”, disse a filósofa antes de deixar o local.

Márcia declarou que deixou o PSOL por discordar do partido “marcado pelo moralismo” ao defender a Operação Lava Jato”. Em um discurso para o ex-presidente Lula, ela revelou o amor pelo líder do Partido dos Trabalhadores. “Já te odiei tanto e agora te amo tanto”.