31 de julho de 2018, 15h09

Maria do Rosário responde declarações de Bolsonaro: “Vai pagar”

A deputada federal, que já venceu Bolsonaro na Justiça por uma situação em que o pré-candidato incitou o estupro, rebateu as acusações feitas pelo deputado em entrevista ao Roda Viva: "Não me calarei diante do ódio"

Foto: Fotos Públicas
A deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) divulgou uma nota na manhã desta terça-feira (31), em suas redes sociais, em que rebate declarações sobre ela feitas pelo pré-candidato à presidência, Jair Bolsonaro (PSL-RJ), em entrevista ao programa ‘Roda Viva’ nesta segunda-feira (30). Na entrevista, Bolsonaro minimizou a ocasião em que afirmou a possibilidade de estuprar a deputada e ainda acusou a petista de ter defendido Champinha, jovem que chocou o país no início dos anos dois mil com crimes que envolviam assassinato e estupro. “Jamais defendi Champinha ou qualquer estuprador. Nem os da ditadura que ele defendeu nesse programa, dizendo...

A deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) divulgou uma nota na manhã desta terça-feira (31), em suas redes sociais, em que rebate declarações sobre ela feitas pelo pré-candidato à presidência, Jair Bolsonaro (PSL-RJ), em entrevista ao programa ‘Roda Viva’ nesta segunda-feira (30).

Na entrevista, Bolsonaro minimizou a ocasião em que afirmou a possibilidade de estuprar a deputada e ainda acusou a petista de ter defendido Champinha, jovem que chocou o país no início dos anos dois mil com crimes que envolviam assassinato e estupro.

“Jamais defendi Champinha ou qualquer estuprador. Nem os da ditadura que ele defendeu nesse programa, dizendo que repetiria seus crimes, nem os de hoje. Esse é o manto sob o qual ele se esconde por usar palavras abomináveis contra as mulheres. Mas vai pagar. Com a derrota e na justiça”, escreveu Maria do Rosário.

Em 2017, a deputada federal venceu Bolsonaro judicialmente quando o Superior Tribunal de Justiça (STJ) condenou, por unanimidade, o pré-candidato por danos morais por uma fala proferida em 2014. Na ocasião, o deputado afirmou e reafirmou a possibilidade de estuprar a deputada petista. “Ela não merece ser estuprada porque ela é muito ruim, porque ela é muito feia, não faz meu gênero, jamais a estupraria. Eu não sou estuprador, mas, se fosse, não iria estuprar, porque não merece”, disse em entrevista a um jornal um dia após fazer a primeira incitação, em plena Câmara dos Deputados.

Outros dois processos pelo mesmo caso correm contra Bolsonaro no Supremo Tribunal Federal (STF).

Confira a íntegra da declaração de Maria do Rosário após o ‘Roda Viva’.

SOBRE A ENTREVISTA DO CANDIDATO DO ÓDIO:

Já venci processo judicial contra Bolsonaro no STJ por unanimidade. Mesmo condenado por danos morais ele continua mentindo, me agredindo e agredindo todas as mulheres. Existem dois processos contra ele no Superior Tribunal Federal por afirmar que há mulheres que merecem ser estupradas.

Jamais defendi Champinha ou qualquer estuprador. Nem os da ditadura que ele defendeu nesse programa, dizendo que repetiria seus crimes, nem os de hoje. Esse é o manto sob o qual ele se esconde por usar palavras abomináveis contra as mulheres. Mas vai pagar. Com a derrota e na justiça.

Não me calarei diante do ódio. Defendo direitos humanos, trabalhei para a comissão da verdade. Defendo as crianças, as mulheres, LGBT’s, negros e negras, indígenas, pessoas com deficiência, pobres, sem-terra, sem-teto e aprovei leis importantes para o Brasil. E esse cara, o que fez?

Nada.