Imprensa livre e independente
05 de abril de 2019, 06h00

Maria do Rosário vai exigir explicações do governo sobre visita de Bolsonaro à CIA

A deputada federal prepara um requerimento de informação para ser protocolado na Câmara dos Deputados em que exigirá detalhes da visita - fora da agenda oficial - à agência que comprovadamente já espionou o governo brasileiro; "Vassalagem", classifica a parlamentar

Reprodução
A visita que Jair Bolsonaro fez no dia 18 de março à Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos (CIA) deverá ser motivo de questionamentos nos próximos dias. A deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) informou à Fórum que prepara um requerimento de informação a ser protocolado na Câmara dos Deputados em que exigirá explicações detalhadas do governo sobre a passagem da comitiva brasileira pela sede da agência conhecida mundialmente pela prática de espionagem. À época, a imprensa brasileira noticiou com destaque que a visita de Bolsonaro à CIA não constava na agenda oficial. Esse, inclusive, deverá ser um dos...

A visita que Jair Bolsonaro fez no dia 18 de março à Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos (CIA) deverá ser motivo de questionamentos nos próximos dias. A deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) informou à Fórum que prepara um requerimento de informação a ser protocolado na Câmara dos Deputados em que exigirá explicações detalhadas do governo sobre a passagem da comitiva brasileira pela sede da agência conhecida mundialmente pela prática de espionagem.

À época, a imprensa brasileira noticiou com destaque que a visita de Bolsonaro à CIA não constava na agenda oficial. Esse, inclusive, deverá ser um dos questionamentos feitos pela deputada.

De acordo com Maria do Rosário, a passagem de Bolsonaro pela agência de espionagem “rompeu com a tradição altiva e soberana de nossa política externa, em uma demonstração de vassalagem nunca vista na história do Brasil”.

Isso porque, conforme revelado em 2015 pelo site de vazamentos WikiLeaks, a CIA espionou o governo brasileiro, inclusive com grampos telefônicos no gabinete da presidência da República. A agência teria, ainda, espionado o Banco Central brasileiro, o avião presidencial e até mesmo a Petrobras. Ainda não se tem uma dimensão certa do nível de espionagem que os norte-americanos desempenharam – ou desempenham – contra o Brasil.

Veja também:  Arthur Chioro: "Política de drogas de Bolsonaro é desastrosa e um grande retrocesso"

“É inaceitável que nossas relações exteriores sejam ditadas por tamanha submissão e falta de orgulho nacional”, afirmou à Fórum a deputada federal.

O requerimento, que será protocolado na Câmara na próxima semana, deve destacar que a visita foi feita com dinheiro público e que, de acordo com a Constituição, o presidente da República deve zelar pela segurança interna do país, sob o risco de incorrer em crime de responsabilidade.

Com o requerimento, a parlamentar pretende fazer com que o presidente revele o real motivo da visita à CIA, por que a passagem pela sede da agência não constou na agenda oficial, o conteúdo da reunião com os representantes norte-americanos e, entre outros pontos, quais informações do Estado brasileiro foram repassadas.

Esta foi a primeira vez que um presidente brasileiro visitou a agência de espionagem norte-americana. Em tempo: Jair Bolsonaro foi à CIA antes mesmo de ir à sede da Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum