Conceição Oliveira

Blog da Maria Frô

Ativismo é por aqui

08 de Abril de 2018, 18h51

Carta ao Lula, aquele que deu xeque mate no golpe!

Querido Lula, é impossível falar de você e do que ocorreu no #OcupaSãoBernardo sem que expliquemos como você nos toca em nossa vida. Você é a síntese do povo brasileiro, resume todas as forças populares da nação. Não há um brasileiro da contemporaneidade, ocupe o espaço social que ocupar que pode ignorar Lula. É por […]

Querido Lula, é impossível falar de você e do que ocorreu no #OcupaSãoBernardo sem que expliquemos como você nos toca em nossa vida. Você é a síntese do povo brasileiro, resume todas as forças populares da nação. Não há um brasileiro da contemporaneidade, ocupe o espaço social que ocupar que pode ignorar Lula. É por isso que seus inimigos de classe, meu querido ex-presidente, são tão implacáveis,  como  o proxeneta do prostíbulo Bahamas que gravou um vídeo oferecendo prêmios pelo seu assassinato com requintes de crueldade e ontem fez no prostíbulo dele um dos shows mais humilhantes às instituições do Estado e à mulher. Marroni aparece numa foto vestido de presidiário humilhando uma mulher nua sob os olhos de Moro e Carmem Lúcia, seus homenageados, numa plateia de “homens de bem”. Mas é por isso também que, assim que foi decretada a sua prisão, a militância de diferentes cidades do estado de São Paulo se dirigiu imediatamente para a frente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC em sua defesa, em defesa dos direitos humanos em defesa da democracia e do Estado de Direito, em defesa especial da Constituição brasileira tão maltratada por aqueles que tinham obrigação de defendê-la.

Lula, eu estava saindo da CUT quando Moro decretou sua prisão no fim da tarde de quinta-feira. Na sexta tinha uma agenda cheia de reuniões externas: setorial sindical, Congresso do Povo e todas as atividades formativas que temos de tocar no dia a dia. Tudo em suspenso. Você era a agenda. Toda a Executiva da CUT presente na sede da Nacional se dirigiu para São Bernardo, deputados, senadores, lideranças dos movimentos sociais, a ocupação do MTST de São Bernardo, candidatos à presidência de outros partidos de esquerda, lideranças sindicais e a militância e simpatizantes que sequer são filiados ao PT e de diferentes cidades do estado. Encontrei militantes de Campinas, de São José dos Campos e outros municípios ainda na noite de quinta.

Quando cheguei em São Bernardo, Lula, já encontrei uma multidão, já era difícil entrar nas dependências do sindicato, porque o prédio de 4 andares estava lotado e porque as ruas no entorno do sindicato também.

O coração estava apertado, uma dor no peito me lembrava que você, o maior líder político do país, admirado no mundo todo, que conta com a solidariedade das organizações sindicais, intelectuais da esquerda mundial, que representa o símbolo vivo da luta de classes estava para ser preso num processo inteiramente partidarizado, ilegal, cheio de vícios desde o princípio.

O golpe se esfregava em minha cara, Lula, com as declarações de generais, com um STF acovardado, com os fascistas que atiraram na sua caravana e chicotearam manifestantes em plena luz do dia, sob os olhos de uma polícia complacente com a barbárie de ruralistas do século XIX em pleno século XXI.

Quando consigo entrar para dar o meu abraço em você o choro explode, a dor toma conta de mim. Você me viu, abriu seu sorriso largo, e deu o abraço apertado que sempre tem reservado. Você me confortou, disse que temos de ser fortes. Você está aí sendo forte para e por todos nós.

Saio daquela sala do segundo andar onde você estava com muita dor, mas ao mesmo tento sabendo que independentemente do que aconteça eu não tinha direito de fraquejar. Você para mim é a liderança que forjou o sujeito político que sou. Entendo, através de seus olhos, o que você quis dizer quando deixou a presidência em 2010: “Vocês são milhões de Lula, vocês  são meus olhos, meus braços minhas pernas, minhas ideias, meu coração”. Naquela época você disse isso para que cuidássemos da Dilma, agora você repete para que cuidemos do Brasil, para que retomemos o Brasil para o povo brasileiro.  Compreendo que é esse sentimento que me impulsiona para a luta desde os meus16 anos, quando subi a primeira vez num caminhão ao lado seu lado em Cubatão, na Praça Princesa Isabel, para falar  em nome das mulheres e quando recebi o mesmo abraço caloroso de quinta-feira. Aos 16 anos, você me disse e eu jamais esqueci:  “Se todos os jovens fossem como você a revolução viria mais cedo”. Aos 54 você me repete: temos de ser fortes, continuar na luta, continuar a acreditar que só com a luta podemos mudar a história.

Fui dormir  às 3 da manhã, Lula, com a cabeça fervilhando. Não voltei para a casa e às 7 já estava de pé para passar mais um dia e parte da noite na vigília do sindicato, na solidariedade, na comunicação alternativa, buscando desmentir a Globo, Band que sem poder entrar no sindicato, sequer andar entre os manifestantes e mesmo se pudesse o PIG já tem o roteiro pronto de bobagens e preconceitos sobre você, a esquerda, o PT, os sindicalistas.

A Globo mostrava a carne do restaurante do sindicato e dizia que estávamos fazendo um churrasco. E se tivesse? A Globo não aceita que depois de seu governo peão possa comer carne de primeira, fazer churrasco, tomar sua cerveja em paz. A Globo não sabe que a classe trabalhadora sempre fez a sua luta com festa e protesto.

Na manhã da sexta, de volta ao sindicato, Lula, eu queria saber das mulheres do MTST – que estavam com seus filhos num acampamento improvisado na frente do sindicato – o que as levou a fazer isso.

Eu já sabia a resposta, toda a esquerda sabe, mas queria ouvir delas e quem sabe, Lula, essa gente sem coração, que criminaliza os movimentos sociais, aprendam um pouquinho, né?

Você estava estava no segundo andar e todos queriam estar ali, o que era impossível. Um calor infernal. Nas escadarias que davam acesso a esse andar uma massa de lideranças, fãs, jornalistas, blogueiros se acotovelavam. Ganhei uma pulseira vermelha arranjada pelos metalúrgicos que tentavam com isso controlar um pouco a permanência das pessoas que lotavam o espaço. Como não sou dirigente, político nem mídia Ninja, nem insisti em permanecer ali. Mas antes resgatei Rovai da muvuca e ele pode entrar no segundo andar. Saí e fui buscar minhas pautas, Lula, afinal, somos milhões de Lula 🙂

Conversando com Bigodinho da Volks, ele me contou que iam para a porta da fábrica dialogar com os metalúrgicos, para que eles venham para o sindicato ampliar a resistência. Na hora disse: Quero ir! Subi no caminhão do sindicato e fomos. Vi o início do trabalho de base que os metalúrgicos fazem há mais de 30 anos, o mesmo trabalho onde se forjou e você foi forjado, né? Você, o sindicalista Lula, que se transformaria no maior presidente da história do Brasil e numa liderança de prestígio mundial.

Cada fala de cada dirigente era uma formação política de convencimento sobre a importância da classe trabalhadora, daquela peaozada que estava ali e que fez a história política do Brasil dos últimos 30 anos. Seus companheiros dirigentes da CNM e do SMABC convidavam a peaozada a se posicionar e escolher entre voltar pra casa (para os que saiam do trabalho no primeiro turno), entrar para trabalhar (para os que chegavam para o segundo turno) ou marchar até o sindicato, para engrossar as fileiras de defesa da democracia.

No começo, Lula, não acreditei que fosse possível arregimentar muita gente e fiquei ali observando os novos e as novas Lulas nascendo e a massa da peaozada ia crescendo. Em meia hora o trabalho foi feito e pelo menos uns quinhentos metalúrgicos aderiram à marcha pela Anchieta, saindo da porta da Volks até o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. Dá uma olhada, Lula, que lindeza!

Quando você sair, pode ver a live que fiz

Você sabe Lula, que os golpistas não podem aprisioná-lo, porque você está preso eternamente em nossos corações, né?

Quando chegamos ao sindicato foi uma coisa impressionante, aquela massa plasmando com a que já estava no sindicato. Todo o entorno do prédio cercado de Lulas.

À noite a massa não diminuia porque chegou a ocupação do MTST de São Bernardo, os mesmos que haviam deixado o acampamento improvisado para irem trabalhar na sexta-feira pela manhã.

Lula, eu vivo perguntando aos fascistas que ficam em nossas lives xingando metalúrgico, que depois de um dia de trabalho vai pra o sindicato e trabalhadores do MTST da ocupação de São Bernardo, que depois de um dia inteiro de trabalho dormem nas portas do sindicato para protegê-lo: vocês acham mesmo que trabalhadores com esta fibra se sentem incomodados por ignorantes raivosos como vocês? Esses trabalhadores são os milhões de Lula que compreendem a luta de classes e que agora mais do que nunca sabem que não temos direito de desistir, que temos dever de levantar a cabeça e resistir.

E também digo para os nossos amigos que temos de levantar a cabeça e estufar o peito como você nos ensinou, Lula. Rodrigo Rodrigues, o secretário geral da CUT- BSB, está com pé quebrado e subindo escadas do prédio da CUT, pulando num pé só depois da cirurgia. Não deixou de ir a CUT um único dia, Lula. Aos amigos e amigas que ligam, me chamam no whats, messenger repito #eusouLula.

Será que as instituições golpistas, as corporações midiáticas não aprenderam nada vendo você você sendo carregado mais uma vez nos braços do povo  e esse mesmo povo teimando com você e o impedindo de se apresentar à PF?

STRINGER REUTERS

Será que essa elite Bahamas acredita mesmo que derrotaram você, Lula? Será que não entendem que você ontem mostrou ao mundo que quando o povo se une somos mais fortes que qualquer poder armado? E hoje além de produzir a foto do ano, carregado nos braços do povo e não num camburão como o PIG tanto queria apresentar no JN, ainda não perceberam que você deu um xeque-mate na direita inteira?

Lula, Genoíno hoje me mandou uma análise do professor José Luís Fiori. Concordo bastante com a análise dele e por isso o título de minha carta a você. Vou reproduzir os pontos centrais: 1) ao torná-lo um preso político a farsa montada pela direita chegou ao fim, 2) O assunto “prisão Lula” perderá sua centralidade, 3) A luta pela sua liberdade o transformará no grande “candidato”, esvaziando qualquer discussão de candidatura alternativa, 3) O PSDB acabou, você Lula e a nossa luta por Justiça se transformam no tema central da agenda nacional, 4) O discurso de “combate à corrupção”, tocado pelo centro do golpe com Globo e com STF e tudo, é uma pauta esgotada. Como farão com o país afundando aos olhos vistos e o povo compreendendo mais e mais que a perseguição implacável contra você nunca se tratou de combate ã corrupção e sim de ataque à soberania nacional e aos direitos conquistados pelo povo brasileiro?

Esta elite golpista, de espírito escravagista, Lula vai entender na marra que cada trabalhador e trabalhadora neste país, cada estudante cada cidadão e cidadã no campo e na cidade que tem consciência de classe pegará o seu bastão, a sua bandeira que você nos entregou ontem e prosseguirá na luta.Você deixou bem claro quando passou o bastão: “E quero fazer aqui uma transferência de responsabilidade: eles acham que o problema deles é só o Lula. Eles vão descobrir que o problema são todos vocês. Minhas ideias já estão pairando no ar e não tem como prendê-las.”

Será que eles não entenderão, Lula que você há muito deixou de ser um operário, um presidente, um líder político e se transformou num símbolo de luta?  Que Lula é sinônimo de resiliência e superação?

Ninguém que hoje comunga da ideia de resgatar o Brasil das mãos dos capachos do capital vai abaixar a cabeça, Lula. Do mais humilde nordestino do sertão do polígono da seca ao jovem negro das periferias das grandes cidades, o brasileiro humilde não tolerará mais ser humilhado, eles aprenderam a ser sujeitos de direitos com você, companheiro e com os governos petistas.

Neste país vão nascer milhões de Marielles a exigir direitos, cidadania e a radicalização da democracia. O Congresso do Povo restabelecerá o Brasil para os brasileiros e não para uma elite escravopata, nojenta, asquerosa, vira-latas,  ignara, sem cultura, que ofendem as putas ao comparar o que eles fizeram com um puteiro.

Essa elite escravopata descobrirá que você Lula germinou milhões de novos Lulas. Vai descobrir como você disse ontem em seu grande xeque-mate: que o problema do Brasil não se chama Lula, que o problema da elite brasileira é que os milhões de Lula vão ganhando consciência de classe. Essa elite vai descobrir que o MST, o MTST, a CUT, cada sindicato combativo deste país, a UNE, a UJS, a mídia de esquerda, o PSOL, o PcdoB, o PT, o PCO, os quilombolas, os povos indígenas, as periferias, os agricultores familiares vão ser as pernas, os braços, o coração de Lula e a cabeça de Lula.

Não adianta encarcerá-lo Lula, suas ideias pairam no ar, não há como prendê-las, nem se o seu coração  parar de bater  (mas, por favor, companheiro, procure dormir, se exercitar e se alimentar direito, nós queremos você bem vivo) seus inimigos vencerão. Nossos corações baterão por você, Lula.

Como eu já disse, mas não é exagero repetir, você está preso eternamente no coração de cada brasileiro que ama seu povo, que não tem complexo de vira-latas, que tem consciência​ de classe, que é sujeito de sua própria história. Como você vaticinou, Lula, em seu discurso histórico: “Você não se chama mais Chiquinho, Pedrinho, Albertina, Zezinho. Vocês vão virar Lula e vão andar por esse país fazendo o que tem de fazer e é todo dia. A morte de  um combatente não para a revolução. Os poderosos podem matar uma, duas ou cem rosas mas jamais conseguirão deter a chegada da primavera.”

Você nos deixou uma tarefa concreta companheiro para toda a sociedade civil organizada comprometida com um projeto nacional soberano: a democracia não tem limites, não tem hora para gente brigar por ela, essa luta é diária. E nenhum de nós tem o direito de desistir. NOSSA TAREFA É RESISTIR. E isso vale para a galera de isentões também. Chegamos a um momento da história onde ou você está do lado da defesa das liberdades democráticas ou você está ao lado do fascismo que, inclusive, contaminou as instituições colocando em risco gravíssimo nosso frágil Estado de Direito.

O que ocorreu na madrugada do sábado em Curitiba e antes no seu embarque e chegada em Curitiba nos mostram que mais do que nunca é preciso fazer a defesa intransigente da democracia e radicalizá-la.

Você conseguiu controlar a iconografia de seu encarceramento, as tvs acharam que iam registrar o seu fim. As agências internacionais de notícias continuam com a narrativa do fim sua carreira política, Lula: a AFP teve seu conteúdo replicado por 3,7 mil veículos de imprensa no mundo,  a Reuters por 2.480 sites e jornais, inclusive o The New York Times, a espanhola EFE teve texto, vídeo e fotos reproduzidos em 2.590 sites e veículos noticiosos em todo o globo, matéria da AP foi reproduzida em 10,6 mil sites noticiosos. Mas nenhum veículo pode ignorar as dezenas de fotos de Lula mais uma vez carregado nos braços do povo e da resistência deste mesmo povo no Sindicato dos Metalúrgicos que impediu o seu carro de seguir em direção a PF, obrigando-o a ir a pé até um carro da PF longe dos olhos da multidão.

Desculpe a longa carta, companheiro é que eu quero deixar você atualizado sobre a nossa resistência. A mãe Terezinha ligou hoje preocupada com a sua saúde, mas lembrou também que você já foi um preso político e é um cabra de fibra.

Nosso Timão, companheiro, acaba de bater o Palmeiras do Julinho Turra e do Miro Borges, mas tenho certeza que esses companheiros não estão tristes, porque sabem que você é Timão do coração. Fique em paz, aqui seguimos firmes na luta.

Um grande abraço Fraterno,

Maria Frô Lula da Silva

#Lulastê (é assim que a galera está se cumprimentando dentro e fora da rede)

Ps. Querido Lula, vou enviar a minha carta com AR e parece que a galera vai fazer da PF, que quer te encarcerar, a carteira do povo. Meus seguidores não param de me enviar o endereço da PF e há mesmo uma ação viralizada para que todos lhe enviem muitas cartas. Vou me adiantar para os companheiros e companheiras que desejam te escrever como eu fiz fornecendo o endereço:

Superintendência Policia Federal
Para Luiz Inácio Lula da Silva
R. Profa. Sandália Monzon, 210 – Santa Cândida
Curitiba – PR
CEP – 82640-040

 


#tags