Imprensa livre e independente
08 de março de 2019, 17h35

Marielle Franco é lembrada na marcha das mulheres de Berlim

A marcha que marca o Dia Internacional da Mulher na capital alemã foi aberta com a fala de uma ativista que lembrou da "situação preocupante" no Brasil diante da eleição de Jair Bolsonaro; manifestação reuniu mais de 10 mil pessoas

Reprodução/Twitter Oriol Serra
O internacionalismo na luta das mulheres se fez presente, na tarde desta sexta-feira (8), na marcha que marca o Dia Internacional da Mulher em Berlim (Alemanha). A situação brasileira, apesar dos mais de 9 mil quilômetros que separam os dois países, foi lembrada logo na abertura da marcha por uma das ativistas alemãs. Segundo conta a jornalista Clarissa Neher, em matéria publicada canal público de comunicação da Alemanha, Deutsche Welle (DW), uma das ativistas abriu a marcha, durante a concentração na praça Alexanderplatz, destacando dados sobre a violência contra as mulheres no Brasil. Ela detalhou que a cada nove minutos uma...

O internacionalismo na luta das mulheres se fez presente, na tarde desta sexta-feira (8), na marcha que marca o Dia Internacional da Mulher em Berlim (Alemanha). A situação brasileira, apesar dos mais de 9 mil quilômetros que separam os dois países, foi lembrada logo na abertura da marcha por uma das ativistas alemãs.

Segundo conta a jornalista Clarissa Neher, em matéria publicada canal público de comunicação da Alemanha, Deutsche Welle (DW), uma das ativistas abriu a marcha, durante a concentração na praça Alexanderplatz, destacando dados sobre a violência contra as mulheres no Brasil. Ela detalhou que a cada nove minutos uma mulher é estuprada no país e que mais de 4,2 mil brasileiras foram mortas no ano passado. Para a ativista alemã, a situação para as mulheres no Brasil é “preocupante” uma vez que o país acaba de eleger um presidente “que em diversos momentos deixou transparecer seu sexismo, machismo e homofobia”.

No discurso de abertura da marcha, foi lembrado ainda o movimento #EleNão, contra Jair Bolsonaro, e houve críticas contra o apoio do banco alemão Deutsche Bank à eleição de Bolsonaro. Ao final do discurso, a vereadora Marielle Franco, assassinada há quase um ano no Rio de Janeiro, foi homenageada com um grito de “Marielle, presente!” e aplausos dos manifestantes.

Veja também:  Em foto com sorriso largo, Sergio Moro divulga entrevista no Ratinho em sua conta no Twitter

Comemorado desde o início do século XX, o Dia Internacional da Mulher, em Berlim, foi transformado em feriado neste ano.

Saiba mais sobre a marcha das alemãs na reportagem do Deutsche Welle Brasil.

 

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum