07 de março de 2019, 21h32

Marina: “Bolsonaro precisa de um intensivão urgente sobre Constituição”

Crítica da ex-senadora veio após o presidente afirmar que "democracia só existe se as Forças Armadas quiserem"

Foto: Elza Fiuza/Agência Brasil
A ex-senadora Marina Silva foi mais uma entre os inúmeros políticos que se manifestaram contra a declaração envolvendo democracia e Forças Armadas feita pelo presidente Jair Bolsonaro na tarde desta quinta-feira (7). Em um evento no Rio de Janeiro, o capitão da reserva disparou: “Democracia e liberdade só existe quando a sua respectiva Força Armada assim o quer”. Marina, então, rebateu com uma postagem no Twitter: “O presidente Jair Bolsonaro vai precisar de um intensivão urgente sobre a Constituição que jurou defender, a começar pelo artigo primeiro que diz: ‘todo o poder emana do povo’. O presidente Jair Bolsonaro vai...

A ex-senadora Marina Silva foi mais uma entre os inúmeros políticos que se manifestaram contra a declaração envolvendo democracia e Forças Armadas feita pelo presidente Jair Bolsonaro na tarde desta quinta-feira (7). Em um evento no Rio de Janeiro, o capitão da reserva disparou: “Democracia e liberdade só existe quando a sua respectiva Força Armada assim o quer”.

Marina, então, rebateu com uma postagem no Twitter: “O presidente Jair Bolsonaro vai precisar de um intensivão urgente sobre a Constituição que jurou defender, a começar pelo artigo primeiro que diz: ‘todo o poder emana do povo’.

Candidata à presidência no ano passado pela Rede, a ex-ministra do Meio Ambiente tem utilizado ativamente as redes sociais para fazer oposição ao governo Bolsonaro. Nesta quarta-feira (6), por exemplo, Marina teceu críticas ao capitão da reserva por conta da postagem que fez do vídeo de teor pornográfico  na tentativa de desmerecer o carnaval e os protestos que foi alvo.

“A cena é vulgar e deplorável. O vídeo compartilhado pelo presidente Jair Bolsonaro é obsceno e escatológico, denuncia sua falta de compostura e rebaixa o cargo da Presidência da República. É uma indignidade!”, escreveu a ex-parlamentar.