30 de julho de 2018, 19h32

Marta pode abrir mão da candidatura ao Senado

Marta estaria enxergando dificuldades em vencer a disputa para o Senado em São Paulo e seu partido, o MDB, já estaria cogitando uma candidatura para a Câmara dos Deputados, já que a ex-petista seria uma boa puxadora de votos

Foto: Agência Senado

A senadora Marta Suplicy, que fez carreira política no PT e em 2015 se filiou, sob a bênção de Eduardo Cunha, ao MDB, pode desistir de sua candidatura à reeleição no Senado. No último sábado (29) o MDB paulista realizou convenção em que oficializou a candidatura de Paulo Skaf para o governo do estado e de Maria Aparecida Pinto, presidente do MDB Afro, para a primeira vaga do partido para o Senado.

A segunda vaga, que seria de Marta, ainda está em aberto e a senadora pediu ao partido o prazo de até 4 de agosto para se decidir quanto à candidatura.

A indecisão de Marta com relação a uma reeleição no Senado estaria ligada ao fato de que a ex-ministra já estaria enxergando dificuldades de vencer a disputa em São Paulo. O primeiro colocado em todas as pesquisas de intenção de voto é seu ex-marido, Eduardo Suplicy (PT).

O MDB, por sua vez, seria favorável a uma não candidatura de Marta ao Senado. Ao invés disso, o partido estaria planejando lançar a candidatura da senadora a deputada federal, já que ela seria uma boa puxadora de votos e teria mais chances de vencer, aumentando assim a bancada da legenda.