02 de agosto de 2018, 22h13

Mauro Lopes denuncia o golpe das agências de checagem

Jornalista explica a farsa das agências de checagem como 'Lupa' e 'Aos Fatos', que acusaram veículos como a Fórum de praticar 'fake news', com a notícia de hoje sobre a mensagem que o Papa Francisco enviou a Lula: "Tudo armação"

Reprodução/Facebook

Por Mauro Lopes, em seu Facebook

 

O golpe das “agências de checagem” em conluio com a mídia conservadora

Bem, para encerrar um episódio que foi tenso e disputado. A afirmação das tais “agências de checagem” (no caso a Agência Lupa e a Aos Fatos), que em junho acusaram-nos, ao Brasil 247 e outros veículos da imprensa independente, a Revista Fórum e o Diário do Centro do Mundo) de terem publicado notícias falsas sobre o fato de o Papa ter enviado um terço e uma mensagem pessoal a Lula, por meio do argentino Juan Grabois, um dos coordenadores dos encontros mundiais de movimentos populares animados pro Francisco.

Foi um momento duro, porque além da acusação das tais agências ter sido amplificada pela mídia conservadora, houve sanções do Facebook contra nós. Tanto o Leonardo Attuch quanto o Renato Rovai estiveram no centro da polêmica e ficaram agastados e indignados, na condição de publishers do 247 e da Fórum.

A trama das agências foi desmascarada e ficou claro à época que tudo o que veiculamos era verdade e eles mentiram à opinião pública e ao Facebook.

Mas nunca desculparam-se conosco ou reconheceram o erro brutal que cometeram.

Pois hoje, ao ler a notícia do UOL sobre a visita de Celso Amorim ao Papa, dei de cara com esta frase: “Em junho, o advogado argentino Juan Grabois levou a Lula um terço abençoado pelo papa”. Assim mesmo. O UOL, que nos atacou com virulência, agora afirma candidamente que estava tudo certo com o que noticiamos.

Não é preciso dizer que as tais “agências de checagem” não consideraram “fake news” o que o UOL publicou (a Lupa fica hospedada no UOL e ambas recebem dinheiro dos veículos da mídia conservadora).

É tudo armação.