06 de agosto de 2018, 09h46

MDB decide apoiar Marcio Lacerda mesmo com disputa judicial em MG

A definição foi considerada uma reviravolta, uma vez que o quadro mais aguardado era que o MDB apoiasse o atual governador Fernando Pimentel (PT)

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Depois de mais de dez horas de reuniões, o MDB de Minas Gerais decidiu apoiar a candidatura do ex-prefeito de Belo Horizonte Marcio Lacerda (PSB) ao governo do estado. Segundo reportagem de Ana Luiza Faria, Bruno Menezes, Fransciny Alves e Lucas Ragazzi, de O Tempo, o presidente da Assembleia Legislativa, Adalclever Lopes (MDB), será o vice e o deputado Jaime Martins (PROS) disputará uma das vagas ao Senado.

A definição foi observada com surpresa, uma vez que o quadro mais aguardado era que o MDB apoiasse o atual governador Fernando Pimentel (PT). Antes da divulgação da aliança, o clima ficou tenso quando o deputado federal Leonardo Quintão (MDB) ameaçou chamar a Polícia Federal. Ele denunciou que a ata que havia sido aprovada pela comissão provisória foi “fraudada” para, depois, aparecer com o apoio a outra chapa.

“A maioria decidiu com a coligação que está na ata (PT, PCdoB, PP). Agora, sumiram as nossas assinaturas e eu quero saber onde está a ata com a minha assinatura. Temos que discutir novamente a modificação dentro da coletividade, porque a lei determina que qualquer modificação só vale até meia-noite. Parte da comissão está em uma reunião secreta, o que não foi combinado com todos, e isso eu não vou aceitar. Estou denunciando uma ilegalidade”, denunciou.

O grupo responsável pelo acordo com Lacerda afirmou que está tranquilo no que se refere à ata. O entendimento é que se a maioria da comissão provisória decidir por apoiar Lacerda, isso pode ser referendado com “tranquilidade”, uma vez que a maioria é quem tem poder de decisão. Além de MDB e PSB, compõem a aliança o Podemos, o PROS, o PV e o PRB. O PDT não foi confirmado como integrante do grupo de apoio a Lacerda.