ASSISTA
29 de setembro de 2017, 21h19

Menina de 10 anos grava estupro para que adultos acreditassem nela

Temendo que os adultos não acreditassem em sua palavra, uma criança uruguaia filmou o pai de uma amiga sua a estuprando; homem foi preso Por Redação A negação do abuso sexual e do estupro enraizada na sociedade chegou ao ponto de uma criança ter que gravar a violência que sofreu para que outras pessoas acreditassem. […]

Temendo que os adultos não acreditassem em sua palavra, uma criança uruguaia filmou o pai de uma amiga sua a estuprando; homem foi preso

Por Redação

A negação do abuso sexual e do estupro enraizada na sociedade chegou ao ponto de uma criança ter que gravar a violência que sofreu para que outras pessoas acreditassem. O caso aconteceu no Uruguai, recentemente, e foi noticiado nesta sexta-feira (29) pela BBC Brasil.

Uma menina de 10 anos da cidade de Artigas, no Uruguai, filmou o pai de uma amiga sua a estuprando. Segundo a garota, ela foi estuprada mais de uma vez. O agressor, pai de sua amiga, se aproveitava dos momentos em que a esposa não estava em casa, mandava a filha ao mercado e, sozinho com a criança, tocava em suas partes íntimas.

“(A filha) disse à amiguinha que sabia o que seu pai estava fazendo com ela, que tinha muito medo do pai e que ninguém acreditaria nelas, motivo pelo qual planejaram filmar tal situação, algo que conseguiram fazer depois de várias inciativas”, afirmou a promotora Mariela Nuñez, que cuidou do caso, à imprensa uruguaia.

O caso chegou à Justiça depois que a menina mostrou os vídeos à tia. O agressor foi preso e, se condenado, sua pena pode variar de dois a seis anos de reclusão.

“O caso dessa menina demonstra que não acreditamos na palavra das crianças, não as escutamos. O problema é cultural: é não querer aceitar que o abuso sexual existe”, disse a promotora.