19 de outubro de 2018, 00h17

Mesmo sem conseguir apoio, Doria cita Bolsonaro ao longo de todo o debate da Band

Apesar de Bolsonaro ter recusado uma reunião para fechar um acordo de apoio com Doria, o ex-prefeito segue surfando na onda a antipetista encampada pelo militar da reserva; no debate da Band, tentou associar Márcio França ao "comunismo" e disse que vai implantar em São Paulo o programa de Bolsonaro e Paulo Guedes

Reprodução
O debate da Band entre os candidatos ao governo de São Paulo, João Doria (PSDB) e Márcio França (PSB), na noite desta quinta-feira (18), foi marcado pelo tom de confronto mas pode ser resumido em dois pontos: o tucano tentando tachar o atual governador como um “esquerdista” e apoiador do PT e se colocando como o candidato de Jair Bolsonaro (PSL) em São Paulo. França, por sua vez, tentou se defender dos ataques de Doria e acusou o ex-prefeito de ser traidor por ter tentado se candidatar à presidência no lugar de seu padrinho político, Geraldo Alcknin (PSDB), além de...

O debate da Band entre os candidatos ao governo de São Paulo, João Doria (PSDB) e Márcio França (PSB), na noite desta quinta-feira (18), foi marcado pelo tom de confronto mas pode ser resumido em dois pontos: o tucano tentando tachar o atual governador como um “esquerdista” e apoiador do PT e se colocando como o candidato de Jair Bolsonaro (PSL) em São Paulo. França, por sua vez, tentou se defender dos ataques de Doria e acusou o ex-prefeito de ser traidor por ter tentado se candidatar à presidência no lugar de seu padrinho político, Geraldo Alcknin (PSDB), além de ter abandonado a prefeitura de São Paulo com pouco mais de um ano de gestão.

Ao longo de todo o debate o candidato do PSDB surfou na onda do antipetismo e tentou associar seu nome ao de Bolsonaro, líder nas pesquisas para a presidência. O militar da reserva, no entanto, já chegou a recusar uma reunião em que Doria tentaria firmar um apoio. Mesmo assim, o tucano seguiu com sua estratégia “bolsodoria”.

“Vou encampar o programa de Jair Bolsonaro e Paulo Guedes aqui em São Paulo. É ele quem estamos apoiando aqui em São Paulo”.

França, em uma das intervenções “bolsonaristas” de Doria, ironizou: “Você é tão marqueteiro que uma hora é Paulo Maluf, dizendo que polícia vai matar e bandido é na cadeia, e outra hora é Bolsonaro”.