09 de agosto de 2018, 12h35

Militantes em greve de fome serão recebidos por Lewandowski

No décimo dia de jejum dos ativistas pela liberdade de Lula, somente um ministro do Supremo Tribunal Federal respondeu à solicitação de audiência

Os ativistas rezaram e se alimentaram no dia que antecedeu o início da greve de fome – Foto: PT na Câmara

Depois de dez dias em greve de fome, pela liberdade do ex-presidente Lula, os militantes que estão em protesto, finalmente, obtiveram uma resposta: o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), entrou em contato e confirmou que recebe-los em audiência, nesta quinta-feira (9). As informações são da CUT, veiculadas no site do PT.

Os manifestantes protocolaram pedidos de audiência com os 11 ministros da Corte para pedir pressa na votação das Ações Declaratórias de Constitucionalidade (ADC’s) 43 e 44, que tratam da prisão após condenação em segunda instância.

Há dez dias sem alimentar, a saúde dos ativistas começa a preocupar o médico que os acompanha. Vilmar Pacífico, Zonália Santos, Luiz Gonzaga (Gegê), Rafaela Alves, Jaime Amorim e Frei Sérgio Görgen estão bem debilitados. Leonardo Armando, que está no segundo dia de greve, já começa a sentir os primeiros sintomas provocados pela falta de alimentos.

Nesta quarta-feira (8), eles receberam visitas em apoio e solidariedade no Centro Cultural de Brasília, onde estão abrigados. Durante todo o dia grupos de parlamentares se revezaram nas visitas.

Assista à entrevista do Fórum Onze e Meia com Leonardo Armando, um dos grevistas: