09 de novembro de 2018, 10h35

Milton Hatoum: Bolsonaro é “figura sinistra” e “esse tempo sombrio vai ser longo”

"Eu estou prevendo uma situação um pouco caótica. O Brasil é de uma complexidade enorme, e eles não entenderam isso", disse o escritor brasileiro.

Divulgação

Terceiro escritor brasileiro contemplado com o prêmio Roger Caillois, nesta quinta-feira (8), Milton Hatoum afirmou em entrevista à Rádio França Internacional (RFI) que prevê que a eleição de Jair Bolsonaro (PSL) levará o Brasil a “uma situação um pouco caótica” e acredita que “esse tempo sombrio vai ser longo”.

“Brasília em 2019 para mim será um governo de militares eleitos pelo povo. Não sabemos o que será o Congresso Nacional, como ele vai se comportar diante do Executivo. Eu estou prevendo uma situação um pouco caótica. O Brasil é de uma complexidade enorme, e eles não entenderam isso. Acho que as pessoas estão muito infelizes, há 13 milhões de desempregados. Quem elege um salvador da pátria, não sabe ainda que não haverá salvação, nem a curto, nem a médio prazo. Acho que esse tempo sombrio vai ser longo”, afirmou, ao ser indagado sobre sua previsão do primeiro ano do governo Bolsonaro.

Para o escritor, o capitão da reserva é uma “figura sinistra” e que o que ele disse sobre a ditadura “foi convicção”.

“O que o presidente eleito, o capitão reformado Jair Bolsonaro falou sobre a ditadura, não foi gafe, foi convicção. Ele elogiou a ditadura e torturadores. Bolsonaro é de fato uma figura sinistra e de extrema direita”.

Segundo ele, um escritor sente essa pressão, mas não vai impedi-lo de escrever. “Acho que quem vai sentir profundamente são as pessoas muito pobres, os negros, os homossexuais, as mulheres, ele fez um discurso contra as minorias, muito contundente e ácido”.

Leia a entrevista na íntegra.