Imprensa livre e independente
29 de agosto de 2018, 17h22

Minas Gerais sofre com falta de repasses do governo federal

A estimativa é que o estado tem direito a cerca de R$ 1 bilhão de recursos ao longo dos anos, valor que poderia ser usado para diminuir o escalonamento de salários

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil Em março deste ano, o governo de Minas de Gerais acusou a União de reter aproximadamente R$ 14 bilhões em repasses que deveriam ter sido efetuados aos estados e, com isso, provocar grandes prejuízos à população mineira, especificamente. O governador Fernando Pimentel (PT) chegou, inclusive, a cobrar extrajudicialmente Michel Temer a prestar contas e ameaçou ingressar na Justiça. A estimativa é que Minas Gerais tem direito a cerca de R$ 1 bilhão desses recursos ao longo dos anos, valor que poderia ser usado, por exemplo, para diminuir o escalonamento de salários. Não é novidade que Pimentel,...

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Em março deste ano, o governo de Minas de Gerais acusou a União de reter aproximadamente R$ 14 bilhões em repasses que deveriam ter sido efetuados aos estados e, com isso, provocar grandes prejuízos à população mineira, especificamente. O governador Fernando Pimentel (PT) chegou, inclusive, a cobrar extrajudicialmente Michel Temer a prestar contas e ameaçou ingressar na Justiça.

A estimativa é que Minas Gerais tem direito a cerca de R$ 1 bilhão desses recursos ao longo dos anos, valor que poderia ser usado, por exemplo, para diminuir o escalonamento de salários.

Não é novidade que Pimentel, candidato à reeleição, por ser do PT, sofre por não receber nenhum apoio do governo federal, comandado por Michel Temer (MDB). A questão é que o maior estado dirigido por um opositor do emedebista e rival dos tucanos vem sendo atacado sistematicamente pelo viés econômico e não político. A análise é de José Antônio Bicalho, de O Beltrano.

A estratégia, entre o governo federal e a oposição conservadora local, é prejudicar economicamente Minas Gerais, retendo na União os repasses que lhes são de direito. Em síntese, ao mesmo tempo em que o governo de Temer segura o dinheiro que pertence a Minas, reclama porque a gestão Pimentel não consegue cumprir as obrigações básicas, como o pagamento integral dos salários do funcionalismo.

Veja também:  Lula defende que esquerda construa plataforma mínima com foco na soberania nacional

O objetivo da manobra, além de minar a gestão do petista é tentar inviabilizar a reeleição de Pimentel. Afinal, será difícil explicar aos eleitores, em período tão curto de campanha, que Minas Gerais vem sendo boicotada pelo governo federal na transferência de recursos. E que alternativas de capitalização são sistematicamente boicotadas pelo PSDB mineiro.

Para tentar minimizar o problema, Pimentel se movimenta na esfera jurídica. O governo mineiro conseguiu n uma vitória importante no Supremo Tribunal Federal (STF) para que os repasses da União aos estados sejam regularizados. Na segunda-feira (27), a União se comprometeu a realizar mudanças importantes nos procedimentos de repasse de recursos federais.

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum