09 de novembro de 2016, 14h52

Ministro de Israel: Vitória de Trump deixa ideia de Estado palestino para trás

O ministro da Educação israelense, Naftali Bennett, escreveu a mensagem em um comunicado nesta quarta-feira Por Redação O ministro da Educação de Israel, Naftali Bennett, que faz parte da base do governo e um dos grandes expoentes do lobby dos colonos judeus, disse nesta quarta-feira (9), que com a vitória de Donald Trump nas eleições americanas a ideia de criar um estado palestino “ficou para trás”. “A vitória de Trump oferece a Israel a possibilidade de se renunciar imediatamente à ideia da criação de um Estado palestino”, escreveu em um comunicado. “Esta é a posição do presidente eleito e esta...

O ministro da Educação israelense, Naftali Bennett, escreveu a mensagem em um comunicado nesta quarta-feira

Por Redação

O ministro da Educação de Israel, Naftali Bennett, que faz parte da base do governo e um dos grandes expoentes do lobby dos colonos judeus, disse nesta quarta-feira (9), que com a vitória de Donald Trump nas eleições americanas a ideia de criar um estado palestino “ficou para trás”.

“A vitória de Trump oferece a Israel a possibilidade de se renunciar imediatamente à ideia da criação de um Estado palestino”, escreveu em um comunicado.

“Esta é a posição do presidente eleito e esta deve ser nossa política. A era de um Estado palestino ficou para trás”, concluiu.

Pela fala do ministro israelense e pela posição expressa por Trump, as tensões entre Israel, aliado dos Estados Unidos, e o povo palestino devem se intensificar dado o fato de que o apoio do atual presidente, Brack Obama, à criação do Estado Palestino, equilibrava as relações. Hillary Clinton, por sua vez, seguiu ao longo de sua campanha a mesma linha de Trump ao prestar apoio incondicional a Israel e se posicionar contra a criação do estado palestino.