Imprensa livre e independente
12 de maio de 2019, 20h59

Moradora de rua trans é agredida por segurança do Pão de Açúcar em São Paulo

Uma testemunha, que denunciou o caso pelas redes sociais, conta que a moradora de rua, conhecida como Lorena da Paulista, foi agredida até desmaiar por um dos seguranças do Pão de Açúcar da rua da Consolação, na região central de São Paulo; assista

Atualizado às 10h36 de 13/05 Uma moradora de rua transexual conhecida como Lorena da Paulista foi agredida na tarde de sábado (11), segundo testemunhas, por um segurança, na porta do supermercado Pão de Açúcar da rua da Consolação, na região central da capital paulista. “Ele saiu de dentro do mercado dizendo que já tinha acabado o expediente e que agora poderia fazer o que ele queria. E bateu nela até ela desmaiar”, conta uma testemunha, que denunciou a agressão pelas redes sociais com um vídeo em que mostra Lorena ferida. A rede Pão de Açúcar esclareceu, através de sua assessoria,...

Atualizado às 10h36 de 13/05

Uma moradora de rua transexual conhecida como Lorena da Paulista foi agredida na tarde de sábado (11), segundo testemunhas, por um segurança, na porta do supermercado Pão de Açúcar da rua da Consolação, na região central da capital paulista. “Ele saiu de dentro do mercado dizendo que já tinha acabado o expediente e que agora poderia fazer o que ele queria. E bateu nela até ela desmaiar”, conta uma testemunha, que denunciou a agressão pelas redes sociais com um vídeo em que mostra Lorena ferida.

A rede Pão de Açúcar esclareceu, através de sua assessoria, que o prestador de serviços citado trabalha na unidade da Angélica, não na da Consolação, e estava fora de serviços naquele momento. A rede esclarece ainda que já solicitou à empresa o seu afastamento. leia a nota na íntegra no final da matéria.

“Nada justifica violência e estamos vivendo. Tempos de muita crueldade e egoísmo”, narrou a testemunha. 

View this post on Instagram

Primeiro desculpem por postar isso amigos, mas não consigo ver essa situação e ficar quieta. Postei em meus stories mas pra ajudar a divulgar estou postando aqui também, a Lorena foi agredida hoje por um segurança do Pão de Açúcar! Ele saiu de dentro do mercado dizendo que já tinha acabado o expediente então agora podia fazer o que ele queria… e bateu nela até ela desmaiar. Peço ajuda de vocês pra divulgar ao máximo pra isso chegar até o Pão de Açúcar e tomarem providências. Nada justifica violência e estamos vivendo tempos de muita crueldade e egoísmo. Pedir comida, pedir ajuda é normal gente, nosso país é desigual e as pessoas têm fome! Chega da gente se calar diante dessas situações… vamos fazer barulho e justiça! Obrigada pelo apoio, as pessoas boas são maioria 💚 #JuntosPelaLorena

A post shared by Bi 🌻 (@gasilverio_) on

O caso rapidamente viralizou nas redes sociais e, diante da repercussão negativa, o perfil oficial da rede Pão de Açúcar se posicionou sobre o assunto, informando que já foi solicitado o afastamento imediato do segurança em questão, o que já teria ocorrido. 

Leia a nota do supermercado Pão de Açúcar na íntegra abaixo:

A rede esclarece que foi informada na tarde de sábado (11) sobre uma ocorrência do lado de fora da unidade da Av. Consolação envolvendo dois clientes. Após apuração do caso, identificou-se que um dos clientes era a Lorena  e o outro, um prestador de serviços que trabalha na unidade da Angélica e se encontrava, portanto, fora de serviço naquele momento. Diante da situação, a rede acionou a empresa e solicitou o afastamento imediato do prestador, o que foi feito no mesmo dia, já que não compactua com qualquer ato de violência e intolerância e zela pelo respeito e à diversidade. A loja permanece à disposição das autoridades para contribuir com o que mais for necessário.

Veja também:  Taiwan é o primeiro país da Ásia a legalizar casamento entre pessoas do mesmo sexo

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum