28 de fevereiro de 2018, 18h35

Moro manda leiloar imóveis de José Dirceu

No total, serão leiloados R$11 milhões em bens do ex-ministro, incluindo a casa que sua mãe, falecida no ano passado, morava em Minas Gerais

O juiz Sérgio Moro, responsável pelos processos em primeira instância da operação Lava Jato, determinou nesta quarta-feira (28) que sejam leiloados quatro imóveis que pertenciam ao ex-ministro José Dirceu. No total, os bens são avaliados em pouco mais de R$11 milhões. O leilão público acontecerá no dia 26 de abril.

Os imóveis serão leiloados de forma separada. Entre os bens que vão a leilão, estão o escritório onde teria funcionado a sede da empresa de consultoria do ex-ministro, a JD Assessoria, na região do Ibirapuera, em São Paulo (SP), um apartamento de 200 metros quadrados, no bairro da Saúde, registrado em nome da filha de José Dirceu, uma chácara em Vinhedo (SP) e uma casa em Passa Quatro (MG), onde morava a mãe do ex-ministro, falecida em julho do ano passado.

De acordo com Moro, todos os bens seriam fruto de práticas ilegais supostamente cometidas pelo petista.

Dirceu foi condenado por Moro em duas ações penais, uma delas já foi confirmada em segunda instância, pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e pertinência a organização criminosa. Ao todo, José Dirceu acumula pena de 42 anos e 10 dias de prisão e ainda responderá a um terceiro processo criminal, aberto no último dia 21 de fevereiro.

*Com informações da Agência Brasil