03 de julho de 2018, 08h58

Moro pode condenar Lula no caso do sítio de Atibaia em pleno período eleitoral

A propaganda gratuita na TV começa em 31 de agosto, dois dias depois dos depoimentos da família Odebrecht

O juiz de Primeira Instância, Sergio Moro, pode finalizar, em outubro, na reta final das eleições presidenciais, o processo do sítio em Atibaia, no qual o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é investigado por, supostamente, ter realizado reformas com a ajuda de empreiteiras.

As informações são da coluna de Mônica Bergamo. De acordo com ela, pelo calendário estipulado pelo juiz, duas testemunhas de defesa de Lula ainda devem depor: a presidenta deposta Dilma Rousseff (PT-MG) e o cantor Gilberto Gil. Lula, de acordo com data já agendada e divulgada por Moro, deve ser ouvido no dia 11 de setembro.

Depois disso, o juiz abre prazo para as alegações finais de acusação e defesa. Se não houver diligências adicionais, ele dá a sentença em outubro em pleno período eleitoral. O primeiro turno das eleições acontece no dia 7 e o segundo, no dia 28.

Os depoimentos mais importantes do processo foram marcados para o fim de agosto e o começo de setembro. Emílio e Marcelo Odebrecht vão depor no dia 29 de agosto. Leo Pinheiro, no dia 3 de setembro. O advogado Roberto Teixeira e o dono do sítio, Fernando Bittar, no dia 5.

A propaganda gratuita na TV começa em 31 de agosto, dois dias depois dos depoimentos da família Odebrecht.