Imprensa livre e independente
14 de maio de 2018, 18h38

Morre Cláudia Celeste, primeira atriz travesti a atuar em novelas

Ela trabalhou em novela em 1977, mas cena foi retirada da edição pela censura durante a ditadura militar; mais tarde, em 1988, atuou em “Olho por Olho”, do começo ao fim

Foto: Reprodução/Twitter Por Brasil 247 A atriz Cláudia Celeste morreu na madrugada deste domingo (13), aos 66 anos, no Rio de Janeiro. Primeira travesti a atuar em uma novela no Brasil, Cláudia estava com uma pneumonia e o agravamento do quadro levou a sua morte. Carioca, a atriz começou a carreira com a peça “O mundo é das bonecas”, em 1973, no Teatro Rival, na Cinelândia. O espetáculo foi o primeiro show de atrizes travestis e transexuais a obter licença do governo militar depois de terem sido banidos pela censura em 1969. O espetáculo levou a atriz a apresentar um dos...

Foto: Reprodução/Twitter

Por Brasil 247

A atriz Cláudia Celeste morreu na madrugada deste domingo (13), aos 66 anos, no Rio de Janeiro. Primeira travesti a atuar em uma novela no Brasil, Cláudia estava com uma pneumonia e o agravamento do quadro levou a sua morte. Carioca, a atriz começou a carreira com a peça “O mundo é das bonecas”, em 1973, no Teatro Rival, na Cinelândia. O espetáculo foi o primeiro show de atrizes travestis e transexuais a obter licença do governo militar depois de terem sido banidos pela censura em 1969. O espetáculo levou a atriz a apresentar um dos números na novela “Espelho Mágico”, da TV Globo, em 1977, onde contracenou com Sônia Braga. Sua participação na novela, no entanto, foi cancelada depois que a imprensa celebrou a primeira travesti na TV.

“Antes, ninguém sabia que eu era travesti, nem Daniel Filho. Ninguém nunca me perguntou! E, como ficou muito ti-ti-ti, tiraram os capítulos que eu já tinha feito”, contou a atriz, em entrevista à revista “Geni”, em 2013. Em 1988, a artista foi a primeira travesti a fazer uma novela do início ao fim: “Olho por olho”, na extinta TV Manchete. Em 2016, Cláudia foi homenageada na primeira edição do Festival TransArte, evento que trata de identidade de gênero e sexualidade. A atriz era casada com o ator e bailarino Paulo Wagner.

Veja também:  Bolsonaro diz que se Lula recebesse facada, "sairia cachaça com certeza"

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum