MP do Rio aluga sem licitação salas comerciais de pai do juiz Marcelo Bretas
16 de Maio de 2018, 10h03

MP do Rio aluga sem licitação salas comerciais de pai do juiz Marcelo Bretas

O juiz da Lava Jato, Marcelo Bretas, é o mesmo que conseguiu na justiça o pagamento de auxílio moradia em dupla, para ele e também para a sua esposa, que também é juíza

Conforme informações da coluna de Paulo Cappelli, no jornal O Dia, o Ministério Público do Rio gastará R$ 361.237 para alugar oito salas comerciais do pai do juiz Marcelo Bretas, da Lava Jato.

O contrato, celebrado sem licitação em maio de 2017, é referente a um imóvel em Queimados, na Baixada Fluminense, e tem duração de três anos.

Adenir de Paula Bretas receberá R$ 338,4 mil pela cessão das salas. O restante, R$ 22.836, será pago pelo MP em impostos e seguro contra fogo e sinistros. Da verba para pagamento de contratos sem licitação em 2018, apenas oito pessoas físicas receberão valor mais alto que o pai do renomado magistrado.

O juiz da Lava Jato, Marcelo Bretas, é o mesmo que conseguiu na justiça o pagamento de auxílio moradia em dupla, para ele e também para a sua esposa, que também é juíza.

O MP diz que a dispensa de licitação ocorreu por conta “da singularidade do imóvel” e ressaltou que a prática é prevista em lei. Sobre o fato de o espaço pertencer a Adenir Bretas, pai de Marcelo Bretas, o MP alegou que desconhecia o parentesco entre o dono do imóvel e o juiz. Afirmou que “as pesquisas realizadas limitam-se ao titular do bem”, ou seja, àquele que será contratado.

O MP afirma que o valor pago pelo aluguel foi calculado com base “em laudo de avaliação imobiliária elaborado com a utilização de método comparativo direto de dados do mercado”.