Imprensa livre e independente
24 de outubro de 2018, 16h29

Mujica: “não posso me esquecer que Hitler foi levado ao poder pelo voto popular”

Para ex-presidente do Uruguai, "são os povos os únicos que têm direito a se equivocar porque são os que pagam a conta".

Reprodução
Em sua vídeo-coluna na agência de notícias alemã Deutsche Welle, José Alberto “Pepe” Mujica, ex-presidente do Uruguai, disse que ao observar as eleições no Brasil e na Baviera – com os resultados favorecem partidos da extrema-direita – e no México – com a vitória do esquerdista Andrés Manuel López Obrador com um discurso antissistema -, é possível perceber que “estamos em tempos de massivo inconformismo”. “Estes resultados têm algo em comum. Muita gente vota contra, sem saber claramente no que vota”, disse Mujica. Segundo ele, especificamente no Brasil, este discurso antissistema pulverizou os partidos políticos tradicionais. “E surge uma assustadoramente...

Em sua vídeo-coluna na agência de notícias alemã Deutsche Welle, José Alberto “Pepe” Mujica, ex-presidente do Uruguai, disse que ao observar as eleições no Brasil e na Baviera – com os resultados favorecem partidos da extrema-direita – e no México – com a vitória do esquerdista Andrés Manuel López Obrador com um discurso antissistema -, é possível perceber que “estamos em tempos de massivo inconformismo”.

“Estes resultados têm algo em comum. Muita gente vota contra, sem saber claramente no que vota”, disse Mujica. Segundo ele, especificamente no Brasil, este discurso antissistema pulverizou os partidos políticos tradicionais. “E surge uma assustadoramente uma candidatura impensável nos parâmetros atuais da história do Brasil, inclusive da América Latina”.

Para o uruguaio, os tempos da ditadura nos países da América Latina ainda estão muito presentes. “Alguma coisa temos em nossa memória é precisamente a dor do que significaram os governos “fortes”, os governos duros, os quais temos farto conhecimento na nossa história”, disse.

Veja também:  O saldo da Vaza Jato, até aqui

“Mesmo assim, os povos acertam e se equivocam. E eu não posso me esquecer que Hitler foi levado ao poder pelo voto popular. São os povos os únicos que têm direito a se equivocar porque são os que pagam a conta”, afirmou.

Veja o vídeo na íntegra.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum