Imprensa livre e independente
08 de dezembro de 2017, 16h53

Mulher denuncia ter sido estuprada por funcionário de UPA

O caso aconteceu em Santos, no litoral paulista. O acusado, funcionário do hospital, é casado, pai de duas meninas e está foragido

O caso aconteceu em Santos, no litoral paulista. O acusado, funcionário do hospital, é casado, pai de duas meninas e está foragido Da Redação* Uma mulher de 43 anos denuncia que foi estuprada por um funcionário dentro de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), em Santos, no litoral de São Paulo, na noite desta quinta-feira (7). Segundo a administradora do local, uma sindicância foi aberta para apurar a denúncia. O caso aconteceu na UPA Central, localizada no bairro Vila Belmiro. De acordo com informações da polícia, a vítima chegou ao local no começo da noite desta quinta, reclamando de fortes...

O caso aconteceu em Santos, no litoral paulista. O acusado, funcionário do hospital, é casado, pai de duas meninas e está foragido

Da Redação*

Uma mulher de 43 anos denuncia que foi estuprada por um funcionário dentro de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), em Santos, no litoral de São Paulo, na noite desta quinta-feira (7). Segundo a administradora do local, uma sindicância foi aberta para apurar a denúncia.

O caso aconteceu na UPA Central, localizada no bairro Vila Belmiro. De acordo com informações da polícia, a vítima chegou ao local no começo da noite desta quinta, reclamando de fortes dores no pescoço. Ela foi atendida por um médico que prescreveu a medicação e, também, a utilização de um colar cervical.

Com a guia em mãos, a vítima foi à farmácia, mas, segundo ela, não havia ninguém para atendê-la. Um funcionário, técnico de gesso, que passava pelo corredor se ofereceu para ajudar e pediu para que ela o acompanhasse até uma sala para que ele pudesse colocar o colar cervical nela. Quando os dois chegaram na sala, ele trancou a porta e a estuprou.

Veja também:  Queiroz ‘rachava’ salário de assessores de Flávio Bolsonaro com organização criminosa, suspeita MP

A vítima afirma que só convenceu o funcionário de abrir a porta da sala ao prometer que não chamaria a polícia.

Depois que conseguiu fugir do local, a vítima foi à delegacia e denunciou o funcionário da UPA. Em depoimento à delegada que atendeu o caso, a mulher contou detalhes sobre o ataque e, inclusive, deu o nome do funcionário, pois conseguiu ler no crachá.

O homem está foragido, mas a Polícia Civil já fez a identificação do suspeito. Segundo a polícia, ele é casado, morador de São Vicente e pai de duas meninas. O caso será encaminhado para a Delegacia da Mulher de Santos, que investigará o caso.

Em nota, a Secretaria de Saúde de Santos informou que “acionou a Fundação do ABC, entidade responsável pela gestão da UPA Central, para a apuração rigorosa dos fatos denunciados”.

“Gestores da Secretaria e da Fundação acompanham o caso de perto e estiveram presentes na noite de quinta-feira no 1º Distrito Policial para ofertar toda a assistência necessária à paciente e em apoio à investigação policial”, diz a pasta na nota.

Veja também:  VÍDEO: Formandos de Medicina da Federal do Sergipe protestam: "Bolsonaro inimigo da Educação"

Já a Fundação do ABC, em nota, disse que abrirá sindicância para apurar denúncias relacionadas a um colaborador que atua na UPA Central de Santos.

*Com informações do G1

Foto: Reprodução YouTube

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum