#FÓRUMCAST
27 de junho de 2018, 11h51

Mulher recusa homenagem pelo fato de Demóstenes Torres estar na mesa. Vídeo

“Num evento de mulheres combativas, de todas as cores, de todas as orientações sexuais, aceitar este senhor sentado na mesa representando não sei o quê”, disse a mulher

Uma mulher da plateia se recusou a receber homenagem, durante posse da nova diretoria do Conselho Estadual da Mulher (Conem), em Goiana (GO), nesta terça-feira (26), pelo fato do ex-senador Demóstenes Torres (PTB) fazer parte da mesa, ao lado do Governador.

“Eu peço licença, vou me retirar, agradeço a homenagem, mas eu não posso aceitar por causa da presença desse senhor na mesa num evento de mulheres combativas, de todas as cores, de todas as orientações sexuais, aceitar este senhor sentado na mesa representando não sei o quê”, disse apontando Demóstenes.

Telefone antigrampo

Demóstenes Torres foi cassado em 2012 sob a acusação de usar mandato para favorecer bicheiro. Ele estava inelegível até 2027, mas foi autorizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), em abril deste ano, a se candidatar ao Senado novamente.

Amigo declarado do bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, o ex-líder do DEM no Senado, Demóstenes Torres (GO), recebeu de presente um telefone antigrampo para poder falar exclusivamente com o contraventor. Antes disso, Cachoeira – então preso na Operação Monte Carlo, da Polícia Federal – dera ao parlamentar, de presente de casamento, um fogão e uma geladeira.

O telefone foi comprado por Cachoeira nos Estados Unidos. De acordo com relatório do Ministério Público Federal (MPF), divulgado pelo site da revista “Época”, 15 aparelhos foram habilitados em Miami. A intenção era fugir de possível grampo. Os procuradores afirmam que os telefones foram distribuídos a “membros do grupo criminoso”.