Imprensa livre e independente
05 de fevereiro de 2019, 09h13

Mulher usada como candidata laranja por ministro do Turismo relata ameaça e pede asilo a Portugal

“Não viria pra cá (Portugal) assim rapidamente se não fosse para poupar a nossa vida”, disse professora aposentada que afirma estar sendo ameaçada por dois assessores de Marcelo Álvaro

Ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (Foto: Gustavo Messina/MTur)
Coluna da jornalista Mônica Bergamo, na edição desta terça-feira (5) da Folha de S.Paulo, informa que uma das mulheres que foi usada como candidata laranja pelo ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL/MG), para receber verbas públicas foi ameaçada por assessores e pediu asilo político em Portugal. Leia também: Ministro de Bolsonaro usou mulheres como candidatas laranjas para desviar recursos na eleição em MG Segundo a reportagem, a professora aposentada Cleuzenir Barbosa disse ter sido ameaçada por dois assessores do ministro do Turismo e pediu asilo político para o SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras) de Portugal. “Não viria pra cá...

Coluna da jornalista Mônica Bergamo, na edição desta terça-feira (5) da Folha de S.Paulo, informa que uma das mulheres que foi usada como candidata laranja pelo ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL/MG), para receber verbas públicas foi ameaçada por assessores e pediu asilo político em Portugal.

Leia também: Ministro de Bolsonaro usou mulheres como candidatas laranjas para desviar recursos na eleição em MG

Segundo a reportagem, a professora aposentada Cleuzenir Barbosa disse ter sido ameaçada por dois assessores do ministro do Turismo e pediu asilo político para o SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras) de Portugal.

“Não viria pra cá [Portugal] assim rapidamente se não fosse para poupar a nossa vida”, disse Cleuzenir que, em dezembro, afirmou ao Ministério Público que foi coagida por dois assessores do atual ministro a devolver R$ 50 mil dos R$ 60 mil de verba pública de campanha que havia recebido do PSL.

O ministro disse, via assessoria, que jamais fez ou autorizou alguém a fazer pressão contra candidatos.

Veja também:  Rodrigo Maia rompe e não negocia mais com líder do governo na Câmara

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum