Imprensa livre e independente
03 de setembro de 2013, 17h49

Na Alemanha, comercial é retirado do ar após ser considerado racista

Peça publicitária da Ferrero usa como slogan "A Alemanha vota branco” no momento em que, pela primeira vez, um negro pode ser eleito para o Parlamento

Peça publicitária da Ferrero usa como slogan “A Alemanha vota branco” no momento em que, pela primeira vez, um negro pode ser eleito para o Parlamento Por Redação  Campanha foi considerada “racista” na Alemanha (Foto: Reprodução) No próximo dia 22 de setembro, a Alemanha terá eleições parlamentares e, pela primeira vez, um negro pode ser eleito. Karamba Diaby tem origem senagalesa, pertence ao partido SPD e pode ser protagonista de um momento histórico no próximo dia 22. Porém, uma campanha publicitária da marca de chocolates Kusschem, da Ferrero, feita para divulgar uma linha de seus produtos, adotou como lema “A...

Peça publicitária da Ferrero usa como slogan “A Alemanha vota branco” no momento em que, pela primeira vez, um negro pode ser eleito para o Parlamento

Por Redação 

Campanha foi considerada “racista” na Alemanha (Foto: Reprodução)

No próximo dia 22 de setembro, a Alemanha terá eleições parlamentares e, pela primeira vez, um negro pode ser eleito. Karamba Diaby tem origem senagalesa, pertence ao partido SPD e pode ser protagonista de um momento histórico no próximo dia 22. Porém, uma campanha publicitária da marca de chocolates Kusschem, da Ferrero, feita para divulgar uma linha de seus produtos, adotou como lema “A Alemanha vota branco” e causou polêmica no país.

Muitos consumidores consideraram o momento inadequado e qualificaram a campanha como racista.  A marca de chocolates foi alvo de inúmeras mensagens em seus perfis nas redes sociais e, em função da repercussão negativa, a empresa decidiu retirar o comercial do ar.

No filme produzido para a TV pela agência M&C Saatchi, um tablete gigante do chocolate branco Küsschen faz um discurso para uma multidão. Confira o filme abaixo.

Veja também:  Após dois anos, PMs são indiciados por agressão de Luana Barbosa em Ribeirão Preto

 

 

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum