Imprensa livre e independente
05 de dezembro de 2017, 18h44

Na Austrália, deputado pede a mão do companheiro durante debate sobre casamento gay na Câmara

Assim que os deputados aceitaram debater a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo no país, o parlamentar Tim Wilson não perdeu tempo e pediu a mão de seu companheiro, que estava nas galerias da Câmara Por Redação Se em alguns países a discussão sobre casamento gay no legislativo é motivo de tabu, como no Brasil, na Austrália isso serviu como ambiente para um pedido inusitado de casamento. Na segunda-feira (4), o deputado liberal Tim Wilson pediu a mão de seu companheiro logo depois de a Câmara Baixa aceitar debater o projeto para legalizar o casamento entre pessoas do...

Assim que os deputados aceitaram debater a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo no país, o parlamentar Tim Wilson não perdeu tempo e pediu a mão de seu companheiro, que estava nas galerias da Câmara

Por Redação

Se em alguns países a discussão sobre casamento gay no legislativo é motivo de tabu, como no Brasil, na Austrália isso serviu como ambiente para um pedido inusitado de casamento. Na segunda-feira (4), o deputado liberal Tim Wilson pediu a mão de seu companheiro logo depois de a Câmara Baixa aceitar debater o projeto para legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo no país.

“Resta somente uma coisa a fazer. Ryan Patrick Bolger, quer se casar comigo?”, disse o deputado ao longo da sessão. Seu companheiro, que estava nas galerias da Câmara, respondeu prontamente: “Sim!”.

A Câmara Baixa australiana pretende aprovar o projeto que legaliza o casamento entre pessoas do mesmo sexo no país antes do Natal. A proposta já recebeu sinal verde do Senado.

 

Veja também:  Lula está "indignado" e quer debate na Globo com Moro e Dallagnol, diz Juca Kfouri

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum