03 de julho de 2018, 13h47

Na capital, Doria perde em simulação de 2º turno pra Skaf e França e empata com Marinho

Outro fator que indica problemas para Doria na capital paulista é a taxa de rejeição, segundo o Ibope: entre os eleitores paulistanos, 55% afirmam que não votariam nele de jeito nenhum

Doria. (Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)

De acordo com pesquisa do Ibope para governador de São Paulo, o ex-prefeito João Doria (PSDB) terá mais dificuldades do que imaginava no pleito deste ano, especialmente entre os eleitores da capital que ele administrou por um ano e quatro meses. Doria não consegue se posicionar à frente de seus adversários principais, segundo reportagem de Ricardo Mendonça, do Valor.

O tucano surge com 19% das intenções de voto, na simulação de primeiro turno em todo o estado, em condições de empate técnico com Paulo Skaf, que aparece com 17%. Na capital, o empate é absoluto: 18% a 18%. A situação de Doria na capital fica anda pior nas simulações de segundo turno. O tucano perde para Skaf por larga margem: 22% a 40%. Em caso de disputa com Márcio França (PSB), Doria também perde, considerado apenas os votos da capital: 27% a 34%. Contra Luiz Marinho (PT), há empate de 31% a 31%. Vale lembrar que a cidade de São Paulo concentra 27% do eleitorado estadual.

Outro fator que indica problemas para Doria na capital paulista é a taxa de rejeição, segundo o levantamento do Ibope: entre os eleitores paulistanos, 55% afirmam que não votariam nele de jeito nenhum. Skaf aparece em segundo nessa lista, com 23%; Marinho tem 16% e França, 10%. Portanto, a rejeição a Doria em todo o estado atinge 39%, sendo a mais alta.

A pesquisa foi realizada entre os dias 23 e 26 de junho, alcançando 1.008 entrevistados em todo o estado. O levantamento foi encomendado pela Companhia Rio Bonito Comunicações (Band), registrada no Tribunal Superior Eleitoral, sob protocolo BR-03598/2018.