Imprensa livre e independente
06 de março de 2019, 18h44

Na festa da Mangueira campeã, torcedores protestam contra Bolsonaro

A quadra da escola de samba vencedora do Carnaval 2019 do Rio de Janeiro é tomada pelo grito que ficou tradicional durante a festa: “Ei, Bolsonaro, vai tomar no c*”

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil
A escola de samba Estação Primeira de Mangueira, campeã do Carnaval 2019 do Rio de Janeiro, celebrou o título com muita festa. Após o anúncio oficial da vitória, a quadra da agremiação foi tomada por milhares de torcedores, que aproveitaram e protestaram contra o presidente, entoando o grito que marcou a festa este ano: “Ei, Bolsonaro, vai tomar no c*”. Isso aconteceu várias vezes durante o Carnaval. No sábado (2), em Belo Horizonte, na abertura do tradicional cortejo “Então, Brilha”, uma multidão também formou o já famoso coro: “Ei, Bolsonaro, vai tomar no c*!”. O triunfo da Mangueira sacramentou a...

A escola de samba Estação Primeira de Mangueira, campeã do Carnaval 2019 do Rio de Janeiro, celebrou o título com muita festa. Após o anúncio oficial da vitória, a quadra da agremiação foi tomada por milhares de torcedores, que aproveitaram e protestaram contra o presidente, entoando o grito que marcou a festa este ano: “Ei, Bolsonaro, vai tomar no c*”.

Isso aconteceu várias vezes durante o Carnaval. No sábado (2), em Belo Horizonte, na abertura do tradicional cortejo “Então, Brilha”, uma multidão também formou o já famoso coro: “Ei, Bolsonaro, vai tomar no c*!”.

O triunfo da Mangueira sacramentou a derrota de Bolsonaro no Carnaval. Enquanto nas ruas os protestos contra o presidente dominaram os blocos, transformando a festividade em um verdadeiro ato nacional de resistência ao governo autoritário, a Mangueira, na Sapucaí, lavou a alma dos brasileiros ao desconstruir os heróis e as ideias defendidas pelo presidente e contar a verdadeira história do país.

O enredo “História pra ninar gente grande” homenageou heróis esquecidos, como lideranças negras, indígenas e mulheres – segmentos que Bolsonaro historicamente procura marginalizar.

Veja também:  Bolsonaro diz que se Lula recebesse facada, "sairia cachaça com certeza"

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum