08 de outubro de 2018, 09h58

Na Paulista, bolsonaristas queimam réplica de urna e querem revogação das eleições

Vestido com roupas camufladas, um homem que se identificou como Abraão, disse que "falsas pesquisa já indicavam segundo turno e preparavam para que houvesse fraude". "Comunista não sai do poder democraticamente. Só sai na bala"

Reunidos na Avenida Paulista na noite deste domingo (7), um grupo de cerca de 40 bolsonaristas queimou réplicas de urnas e pediu a revogação das eleições, logo após a confirmação de que o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, irá disputar o segundo turno das eleições presidenciais contra Fernando Haddad (PT).

Reportagem de Arthur Stabile e Sérgio Silva, da Ponte, acompanhou o protesto e ouviu, entre outros gritos de protesto, que é preciso “ir para a rua porque tem que revogar essa eleição”. Bastante exaltados, eles gritavam que houve fraude nas urnas – ressoando o que disse Bolsonaro em sua declaração nas redes sociais na noite deste domingo (7), após a confirmação da disputa com o petista.

Vestido com roupas camufladas, um homem que se identificou como Abraão, disse que “falsas pesquisa já indicavam segundo turno e preparavam para que houvesse fraude”. “Comunista não sai do poder democraticamente. Só sai na bala”, disse o homem.

Durante a votação, vários eleitores de Bolsonaro publicaram fotos e vídeos com armas na cabine de votação. Muitos deles apertavam as teclas dos números do candidato com o cano do revólver.

Leia reportagem completa no site Ponte e assista abaixo ao vídeo.