09 de outubro de 2018, 14h55

“Não podemos votar com o coração cheio de ódio. Não existem salvadores da pátria”, diz secretário da CNBB

O bispo criticou a avalanche de notícias falsas que marcou o primeiro turno da campanha e disse esperar, nesta etapa, "menos notícias falsas, e mais notícias verdadeiras" –sobretudo por meio de "um debate mais amadurecido"

Divulgação

Em entrevista ao portal Uol nesta segunda-feira (8), o secretário-geral da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), bispo dom Leonardo Steiner, afirmou que a orientação da organização é que os fiéis se orientem pela democracia. “Pedimos é que o eleitor católico observe se os candidatos pregam mais ou menos democracia; se buscam a convivência fraterna com base na educação, no respeito e justiça social”.

Segundo dom Leonardo, os cristão são “pessoas de esperança e a pessoa de esperança vai construir a democracia”. “Não podemos votar com o coração cheio de ódio, nem pensando que vamos mudar o Brasil de uma hora para outra: não existem salvadores da pátria, mas uma democracia que precisa ser permanentemente construída”, afirmou.

O bispo criticou a avalanche de notícias falsas que marcou o primeiro turno da campanha e disse esperar, nesta etapa, “menos notícias falsas, e mais notícias verdadeiras” –sobretudo por meio de “um debate mais amadurecido” das propostas.