ASSISTA
16 de agosto de 2013, 15h50

“Não repercutiu muito bem na TV Cultura”

Heródoto Barbeiro afirma que sua saída do Roda Viva, em 2010, teve relação com perguntas sobre os pedágios paulistas feitas ao então candidato à presidência pelo PSDB, José Serra

Heródoto Barbeiro afirma que sua saída do Roda Viva, em 2010, teve relação com perguntas sobre os pedágios paulistas feitas ao então candidato à presidência pelo PSDB, José Serra

Da Redação

Na madrugada do dia 18 de dezembro de 2012, o jornalista Heródoto Barbeiro foi um dos entrevistados do programa Roberto Justus +, exibido pela TV Record. Atualmente trabalhando como âncora do Jornal da Record News, Barbeiro foi questionado sobre a sua demissão do cargo de apresentador do Roda Viva, programa de entrevistas exibido pela TV Cultura, e a sua posterior saída da emissora paulista.

O apresentador e empresário Roberto Justus, durante o quadro Pergunta +, questionou se a saída de Barbeiro do Roda Viva teve ligação com o episódio em que o então candidato à presidência da república pelo PSDB, José Serra, discutiu com o jornalista ao ser questionado sobre os altos preços dos pedágios paulistas. Barbeiro deixou claro que a sua saída da TV Cultura teve ligação com a discussão com Serra e afirmou que após o episódio não se sentia mais à vontade para trabalhar na emissora.

“De certa forma um fato está ligado ao outro. Foi uma discussão um pouco ríspida com o candidato do PSDB. Nada pessoal contra ele, foi apenas uma questão de opinião. Mas isso não repercutiu muito bem na TV Cultura, que tem uma ligação muito forte com o governo do Estado, obviamente. Então, eu senti que eu não estava tão à vontade para trabalhar lá como estava antes”, disse Barbeiro.

Dias antes da demissão de Heródoto Barbeiro, o então novo diretor de jornalismo da TV Cultura, Gabriel Priolli, foi demitido por ter sugerido e produzido uma reportagem sobre os pedágios paulistas, vetada pelo vice-presidente de conteúdo da emissora, Fernando Vieira de Mello. Priolli não ficou nem uma semana na direção de jornalismo da TV Cultura.

Na época, a emissora declarou que Priolli foi demitido porque não exercia oficialmente o cargo de diretor de jornalismo, e que apenas colaborava informalmente na área. Já a saída de Barbeiro da apresentação do Roda Viva foi justificada pela emissora com a contratação de Marília Gabriela para o mesmo cargo.

A TV Cultura é controlada pela Fundação Padre Anchieta, que por sua vez é mantida pelo governo paulista. O PSDB governa o estado de São Paulo desde 1995.

(Foto de capa: murilocardoso/Flickr)