Imprensa livre e independente
24 de janeiro de 2019, 08h35

“Não vai acontecer nada”, disse um dos milicianos ao ser preso

Maurição seria ligado a Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro

Foto: Reprodução Rede Globo
De acordo com informações da coluna de Ancelmo Gois, durante a operação “Os intocáveis”, deflagrada nesta terça-feira (22), o subtenente da PM Maurício Silva da Costa, o Maurição, 56 anos, deitado numa cama, disse a um membro do MP estadual, ao ser preso: — Rapaz, deixa disso, não vai acontecer nada. Vai ser como em 2008: meu advogado vai resolver tudo. Vocês não sabem de nada. Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais Condenado, na época, a sete anos de cadeia, Maurição terminou de fato sendo absolvido pela...

De acordo com informações da coluna de Ancelmo Gois, durante a operação “Os intocáveis”, deflagrada nesta terça-feira (22), o subtenente da PM Maurício Silva da Costa, o Maurição, 56 anos, deitado numa cama, disse a um membro do MP estadual, ao ser preso:

— Rapaz, deixa disso, não vai acontecer nada. Vai ser como em 2008: meu advogado vai resolver tudo. Vocês não sabem de nada.

Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

Condenado, na época, a sete anos de cadeia, Maurição terminou de fato sendo absolvido pela 6ª Câmara Criminal do Rio.

De acordo com as investigações, ele é considerado o responsável pela circulação de vans em Rio das Pedras.

A operação “Os intocáveis” prendeu vários milicianos, alguns deles ligados a Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro.

Agora que você chegou ao final desse texto e viu a importância da Fórum, que tal apoiar a criação da sucursal de Brasília? Clique aqui e saiba mais

Veja também:  "Não se fala em povo nesse governo", critica Lula

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum