06 de junho de 2015, 17h40

Nassif: Os mistérios de Ronaldo, além da final com a França

Quando os abusos e os enormes lucros da FIFA começaram a ser comentados, foi o primeiro a defender a entidade. “Falam que a Fifa está tendo lucro, mas qual é a empresa que não quer ter lucro? Todo mundo quer ganhar dinheiro”. Implodido o esquema da entidade, saiu a campo condenando seus antigos aliados e pedindo renovação. Sua pressa em se descolar da quadrilha é sugestiva

Quando os abusos e os enormes lucros da FIFA começaram a ser comentados, foi o primeiro a defender a entidade. “Falam que a Fifa está tendo lucro, mas qual é a empresa que não quer ter lucro? Todo mundo quer ganhar dinheiro”. Implodido o esquema da entidade, saiu a campo condenando seus antigos aliados e pedindo renovação. Sua pressa em se descolar da quadrilha é sugestiva Por Luis Nassif, no Jornal GGN Por conta de um comercial de cigarros, Gerson, o canhotinha de ouro, ganhou a fama de pretender levar vantagem em tudo. Sem nunca ter cometido a imprudência de...

Quando os abusos e os enormes lucros da FIFA começaram a ser comentados, foi o primeiro a defender a entidade. “Falam que a Fifa está tendo lucro, mas qual é a empresa que não quer ter lucro? Todo mundo quer ganhar dinheiro”. Implodido o esquema da entidade, saiu a campo condenando seus antigos aliados e pedindo renovação. Sua pressa em se descolar da quadrilha é sugestiva

Por Luis Nassif, no Jornal GGN

Por conta de um comercial de cigarros, Gerson, o canhotinha de ouro, ganhou a fama de pretender levar vantagem em tudo. Sem nunca ter cometido a imprudência de revelar seu caráter em comerciais chulos, Ronaldo, o Fenômeno, tornou-se a expressão mais completa da esperteza futebolística.

Não se sabe até onde irão as investigações do FBI sobre a corrupção no futebol. Mas há grande probabilidade de que a longa mão da lei norte-americana o alcance.

***

Todas as investigações começaram em torno do acordo de delação firmado por J. Hawilla com a justiça norte-americana.

No período investigado, três empresas de marketing esportivo chamaram a atenção: a Traffic, de J. Hawilla, a Klefer Marketing Esportivo, de Kleber Leite, e a 9ine, de Ronaldo.

As três atuaram nos três principais mercados sob suspeita: o de comércio de jogadores, o da compra de transmissões esportivas e o do marketing esportivo.

***

Além disso, são antigas as ligações entre Ronaldo e Hawilla.

A parceria parece ter começado em 2002, quando Ronaldo montou uma sociedade completa da sua empresa, a Gortin, com a Traffic. O acordo permitiu não apenas a compra dos direitos de transmissão do Campeonato Espanhol para a TV Bandeirantes, como transferiu para a Traffic o trabalho de marketing de mais de cem jogadores atendidos pela Gortin.

Mais tarde, houve conflito entre a Traffic e a nova empresa de Ronaldo, a 9ine, em torno do patrocínio do Flamengo. Mas em fins de 2011 foi celebrada a paz e ambas as empresas passaram a planejar ações conjuntas.

***

Na Copa do Mundo do Brasil, Ronaldo tornou-se o braço mais ostensivo de influência da FIFA.

Foi indicado por Ricardo Teixeira, presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), para compor o COL (Comitê Organizador Local) da Copa do Mundo. E a indicação veio acompanhada de declarações eloquentes: “”Esse Ronaldo que o povo brasileiro idolatra é a voz perfeita para o momento de conciliação em torno da Copa de 2014”.

Desde o início, revelou-se o lobista mais eficiente da FIFA.

Suas primeiras intervenções foram para reduzir as críticas contra as obras da Copa, sustentando que o país era suficientemente rico para garantir as obras e os gastos em educação e saúde.

***

Nos auges da disputa entre o governo brasileiro e a FIFA, mesmo sendo membro do COL e acompanhando as obras, sabendo que seria entregues dentro do prazo combinado, valeu-se da atoarda dos jornais para pressionar. “A Copa do Mundo (…) poderia ter sido perfeito, se fizessem tudo o que prometeram, mas isso não tem a ver com Copa do Mundo, tem a ver com os governos que prometeram e não cumpriram”.

***

Quando os abusos e os enormes lucros da FIFA começaram a ser comentados, foi o primeiro a defender a entidade. “Falam que a Fifa está tendo lucro, mas qual é a empresa que não quer ter lucro? Todo mundo quer ganhar dinheiro”.

***

Implodido o esquema FIFA, saiu a campo condenando seus antigos aliados e pedindo renovação. Sua pressa em se descolar da quadrilha é sugestiva.

É possível que, ao final das investigações, se tenha mais luz sobre o mistério Ronaldo do que aquelas que não iluminaram o fatídico jogo contra a França, no qual o Brasil perdeu a Copa.

Foto: Marcos Fernandes/Flickr Aécio Neves