AO VIVO
10 de Maio de 2017, 09h16

Nelson Xavier morre aos 75 anos

Ator lutava contra um câncer na próstata. Morte foi anunciada pela filha em postagem no Facebook. Da Redação* O ator Nelson Xavier morreu, aos 75 anos, na noite desta terça-feira, 9, em Uberlândia, Minas Gerais. Um dos principais atores do Brasil, participou de obras antológicas do teatro brasileiro, como  “Eles Não Usam Black-tie” (1958), de […]

Ator lutava contra um câncer na próstata. Morte foi anunciada pela filha em postagem no Facebook.

Da Redação*

O ator Nelson Xavier morreu, aos 75 anos, na noite desta terça-feira, 9, em Uberlândia, Minas Gerais. Um dos principais atores do Brasil, participou de obras antológicas do teatro brasileiro, como  “Eles Não Usam Black-tie” (1958), de Gianfrancesco Guarnieri, “Chapetuba Futebol Clube” (1959), de Oduvaldo Vianna Filho, “Gente como a Gente” (1959), de Roberto Freire, e “Julgamento em Novo Sol” (1962), dele mesmo.

Tereza Villela Xavier, filha do ator, usou sua página no Facebook para falar da perda do pai.

“Lamento informar a quem possa interessar que meu pai, Nelson Xavier, faleceu esta noite em Uberlândia. Seu corpo será transferido, celebrado e cremado no Rio de Janeiro em cemitério ainda não determinado. Agradeço desde já as mensagens de apoio. Ele virou um planeta! Estrela ele já era. Fez tudo o que quis, do jeito que quis e da sua melhor maneira possível, sempre”, escreveu ela.

Em 2014, durante o Festival de Gramado, Nelson Xavier contou que fez tratamento contra o câncer de próstata em 2004 e que estava livre da doença.

Entre seus tantos trabalhos no cinema, estão “O ABC do Amor” (1967), “Os Deuses e os Mortos (1970), “É Simonal” (1970), “Dona Flor e seus Dois Maridos” (1976), e “A Queda” (1978), de Ruy Guerra, que lhe rendeu um Urso de Prata no Festival de Berlim.

Em 2011, Nelson interpretou Chico Xavier no cinemas. Na época, o ator afirmou que havia vivido ali seu melhor papel. “Finalmente fiz o meu maior papel. Fui invadido por uma onda de amor tão forte, tão intensa, que levava às lágrimas”, contou Nelson Xavier, que no longa viveu o líder espírita dos 59 aos 65 anos. “Nenhum dos personagens que fiz mudou minha vida. O Chico fez uma revolução”.

*Com informações do G1

Foto: Reprodução Facebook