Imprensa livre e independente
19 de outubro de 2018, 08h25

No Rio, cartazes anunciando futura loja de “armas para diversão” são espalhados em pontos comerciais

Coluna do jornalista Ancelmo Góis, no jornal O Globo desta sexta-feira (19), mostra duas fotos de pontos comerciais na zona sul do Rio com os cartazes.

Reprodução/O Globo
Coluna do jornalista Ancelmo Góis, no jornal O Globo desta sexta-feira (19), revela que cartazes anunciando futuras lojas de armamentos estão sendo espalhadas na entrada de estabelecimentos fechados na zona sul do Rio de Janeiro. Os cartazes anunciam “Em breve aqui, Guns For Fun (armas para diversão), loja de armamentos em geral”. O colunista divulga dois locais onde a informação foi colocada: um no Leblon (esquina de Bartolomeu Mitre com Ataulfo de Paiva), onde se localizava uma agência bancária, e outro em Ipanema. O fim do Estatudo do Desarmamento é uma das principais bandeiras do candidato do PSL, Jair Bolsonaro,...

Coluna do jornalista Ancelmo Góis, no jornal O Globo desta sexta-feira (19), revela que cartazes anunciando futuras lojas de armamentos estão sendo espalhadas na entrada de estabelecimentos fechados na zona sul do Rio de Janeiro.

Os cartazes anunciam “Em breve aqui, Guns For Fun (armas para diversão), loja de armamentos em geral”. O colunista divulga dois locais onde a informação foi colocada: um no Leblon (esquina de Bartolomeu Mitre com Ataulfo de Paiva), onde se localizava uma agência bancária, e outro em Ipanema.

O fim do Estatudo do Desarmamento é uma das principais bandeiras do candidato do PSL, Jair Bolsonaro, que se considera um “amante das armas”. Em seu plano de governo, Bolsonaro promete “reformular o Estatuto do Desarmamento para garantir o direito do cidadão à legítima defesa”. Na prática, o deputado já disse quer acabar com o estatudo e o filho dele, o deputado reeleito Eduardo Bolsonaro, já defendeu que as armas sejam vendidas no Brasil igual a nos Estados Unidos, em lojas de departamentos com a exigência apenas do RG.

Veja também:  Alexandre Frota: diálogo de Moro é ilegal, imoral e vetado no mundo todo

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum