Blog do George Marques

direto do Congresso Nacional

28 de março de 2019, 18h14

Novato e de primeiro mandato, deputado do PSL é escolhido relator da Previdência

Deputado de primeiro mandato pelo PSL, Marcelo Freitas foi anunciado pelo presidente da CCJ após reunião com Onyx Lorenzoni. Ele é delegado da PF e pós-graduado em direito processual

Foto: Najara Araujo/Câmara dos Deputados

Quase quarenta dias após o presidente Jair Bolsonaro (PSL) apresentar à Câmara dos Deputados o texto de proposta para reforma nas aposentadorias, o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, deputado Felipe Francischini (PSL-PR), informou na tarde desta quinta-feira (28) que o relator da proposta (PEC 6/19) será o deputado Delegado Marcelo Freitas (PSL-MG).

Marcelo Freitas tem 43 anos e exerce seu primeiro mandato na Câmara. Ele foi eleito com 58,1 mil votos. Freitas é delegado da Polícia Federal e, de acordo com o site da Câmara, tem pós-graduação em direito processual, pela Universidade Estadual de Montes Claros.

Nos últimos dias, o governo tem lidado com uma crise motivada pela dificuldade na articulação com a base aliada para a votação da reforma. A discussão tem dificultado a relação entre Câmara e Palácio do Planalto e atrapalha o avanço da reforma da PEC no Congresso.

Tramitação

A CCJ é responsável por analisar a admissibilidade do texto, primeiro passo da tramitação da matéria na Câmara. No início desta semana o ministro da Economia, Paulo Guedes, que compareceria à CCJ para explicar o texto, cancelou participação em cima da hora por causa da ausência do nome do relator.

Veja também:  Comunismo para o século XXI

Na quarta-feira (3), há a promessa que Paulo Guedes comparecerá; na quinta-feira (4), a PEC será discutida em audiência pública com juristas. Na segunda semana de abril, ocorrerá a leitura do parecer. Franciscini prometeu que pretende votar a reforma da Previdência na comissão em 17 de abril.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum