ASSISTA
15 de Abril de 2018, 18h38

O belo dia em que os Bolsonaro foram pegos pela justiça

Jornalista que diz ter sofrido ameaças de Eduardo Bolsonaro escreve artigo onde reproduz o diálogo com o parlamentar, que foi denunciado por Raquel Dodge na última sexta-feira (13)

Por Patrícia Lélis*

A procuradora-geral da República, Rachel Dogde, denunciou em plena sexta-feira 13 Jair e Eduardo Bolsonaro, e não poderia existir um dia melhor e mais apropriado para isso. Desde ontem as minhas redes vêm sendo atacadas de todas as formas e com todo o tipo de mensagem de ódio existente, até mesmo ameaças. Pois bem, se muitos de vocês que defendem o indefensável acreditam que de alguma forma irei me calar, estão enganados. Venho aqui detalhar ainda mais os acontecimentos.

Para quem não se recorda dos fatos, tudo começou por conta de um post totalmente mentiroso, feito pelo Eduardo Bolsonaro em seu Facebook pessoal. No post, ele afirma que o feminismo é uma doença, e que a prova disso era que eu estaria supostamente frequentando uma balada LGBT, e a pergunta que fica é como ele ficou sabendo que eu estava lá…ou ele também estava, ou um de seus amigos estava, mas deixo isso para ele responder.

Logo o post dele começou a viralizar na internet, e como sempre ele começou a ser ridicularizado pelos seus pensamentos machistas e retrógrados, e claro, por não me deixar em paz. Eu como boa mulher de coragem resolvi então publicar a minha reposta a ele no Facebook, e logo também viralizou. Eduardo se tornou motivo de risos por mais de uma semana na internet, e diga-se de passagem, ele procurou isso.

E quando eu acreditava que já tinha visto de tudo, eis que Eduardo Bolsonaro resolve me ameaçar, isso mesmo. Vou detalhar a conversa a vocês, que foi através do aplicativo Telegram:

BOLSONARO: “Sua otária! Quem você pensa que é? Tá se achando demais. Se você falar mais alguma coisa eu acabo com sua vida”…

PATRICIA: “Isso é uma ameaça???”

BOLSONARO: “Entenda como quiser. Depois reclama que apanhou. Você merece mesmo. Abusada. Tinha que ter apanhado mais pra aprender a ficar calada. Mais uma palavra e eu acabo com você

PATRICIA: “Eu estou gravando”

BOLSONARO: “Foda-se. Ninguém vai acreditar em você. Nunca acreditaram. Somos fortes”

PATRICIA: “Me aguarde pois vou falar”

BOLSONARO: “Vai para o inferno. Puta. Você vai se arrepender de ter nascido. O aviso está dado. Mais uma palavra e eu vou pessoalmente atrás de você. Não pode me envergonhar…. –

PATRICIA: “Tchau”

BOLSONARO: “Vagabunda”

PATRICIA: “Resolvemos na justiça. É a melhor forma”

BOLSONARO: “Enfia a justiça no cú”…

A operadora do telefone registrado nas conversas confirmou que ele está vinculado a Bolsonaro desde 12/12/2013. Raquel Dodge considerou ser ‘clara a intenção do acusado de impedir a livre manifestação da vítima, valendo-se de ameaça.

Eu não sei se vocês perceberam mas quando ele diz “Entenda como quiser. Depois reclama que apanhou. Você merece mesmo. Abusada. Tinha que ter apanhado mais pra aprender a ficar calada. Mais uma palavra e eu acabo com vocêele se refere ao caso do Feliciano, que tanto Jair quanto Eduardo sabiam, e não me ajudaram a denunciar, muito pelo contrario, assim como o restante do PSC o pedido foi para que eu não fizesse a denúncia.

Eu fico me perguntando até aonde vai a capacidade do Eduardo de tentar me atingir, ou fazer algo contra mim. A pouco em seu Instagram o mesmo teve a capacidade de fazer um “estudo de caso” e postar, tentando invalidar a denúncia. Eduardo, gostaria de te avisar que rede social não resolve NADA. O que resolve mesmo é ir para justiça, coisa que você deve ter sentindo na pele que faz efeito.

E meu recado aos Bolsonaro’s e toda sua tropa sem noção vai continuar sendo a mesma: EU NÃO VOU ME CALAR. E continuarei buscando por justiça, todos os dias. Eduardo não é vitima de armação alguma, apenas foi pego pela justiça.

*Patrícia Lélis é jornalista.