Imprensa livre e independente
26 de março de 2018, 21h21

“O Brexit não teria acontecido sem a Cambridge Analytica”, revela ex-funcionário da empresa

Em entrevista, Chirstopher Wylie, ex-funcionário da Cambridge Analytica que revelou como a empresa usou dados do Facebook de mais de 50 milhões de norte-americanos para eleger Donald Trump, disse que foi o mesmo método que possibilitou a saída do Reino Unido da União Europeia

Reprodução/Flickr
Além de ter coletado indevidamente dados do Facebook de mais de 50 milhões de norte-americanos para ajudar na campanha que elegeu Donald Trump presidente dos Estados Unidos, a empresa britânica de consultoria política Cambridge Analytica também coletou dados da rede social de milhões de cidadãos do Reino Unido e que permitiram a aprovação do Brexit em 2016. A revelação foi feita pelo ex-funcionário da empresa Chistopher Wyile, o mesmo que colocou sua ex-empresa e o Facebook no centro de uma polêmica sobre privacidade e utilização de dados. “Não trabalhei na campanha pelo Brexit, mas fui uma presença fantasma porque conhecia...

Além de ter coletado indevidamente dados do Facebook de mais de 50 milhões de norte-americanos para ajudar na campanha que elegeu Donald Trump presidente dos Estados Unidos, a empresa britânica de consultoria política Cambridge Analytica também coletou dados da rede social de milhões de cidadãos do Reino Unido e que permitiram a aprovação do Brexit em 2016.

A revelação foi feita pelo ex-funcionário da empresa Chistopher Wyile, o mesmo que colocou sua ex-empresa e o Facebook no centro de uma polêmica sobre privacidade e utilização de dados.

“Não trabalhei na campanha pelo Brexit, mas fui uma presença fantasma porque conhecia muita gente e ajudei a montar a empresa que foi posta a serviço da companha. Sabia tudo o que se passava. Eu os coloquei em contato e acompanhei o que faziam”, disse Wyile a jornalistas em uma entrevista publicada pelo El País neste domingo (25). Ao ser perguntado sobre se o Brexit teria acontecido sem a Cambridge Analytica, o ex-funcionário foi direto: “De modo algum”.

Desde que revelou que utilizou dados de usuários do Facebook na eleição de Donald Trump, com o consentimento da empresa de Mark Zuckerberg, a Cambridge Analytica e a rede social têm sido duramente pressionadas e questionadas quanto aos seus métodos. Inicialmente, o Facebook havia solicitado que a empresa britânica apagasse os dados coletados de usuários, mas não confirmou se os dados de fato foram excluídos e nem se esforçou pra que isso acontecesse. O pior: não avisou os usuários que seus dados estavam sendo utilizados.

Veja também:  Favorito para ser novo primeiro-ministro do Reino Unido promete oficializar brexit antes do prazo final

“Temos que aceitar que os dados pessoais estão se transformando em uma parte integral da digitalização da sociedade. A questão não é evitar que dados pessoais sejam usados. A pergunta é quais são os riscos dos dados pessoais e como podemos garantir que sejam processados e administrados de um modo seguro para as pessoas”, disse Wyile na mesma entrevista.

Leia também
Quem é perigoso? Cambridge Analytics ou o Facebook?

Confira a entrevista completa no site do El País Brasil.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum