Blog do Rovai

18 de janeiro de 2019, 08h17

O dia em que Flávio Bolsonaro peidou…

Foi o que fez Flavinho ontem ao ir ao STF. Ele deixou claro ao país que tem medo. Que se a investigação sobre ele, Queiróz, Michele e papai forem realizadas, eles não seguram o tranco

Foto: Reprodução

Perdoem-me o termo, mas no meio de tanta sujeirada o que é um simples pum. Somos todos humanos e o filho do presidente não é diferente. Mas neste caso, uso a palavra como metáfora. Como uma alusão do tipo fraquejada.

Lá nos idos dos 80, na gloriosa Praia Grande, era assim que nos referíamos a alguém quando tinha se acovardado, ficado com medo. O arregou também era muito usado. O sujeito arregou.

Foi o que fez Flavinho ontem ao ir ao STF. Ele deixou claro ao país que tem medo. Que se a investigação sobre ele, Queiróz, Michele e papai forem realizadas, eles não seguram o tranco.

Como essa gente hipócrita é covarde, hein? Lula podia ter feito como Aécio e, ainda em 2014, ter se elegido deputado para buscar foto privilegiado. Afinal sabia que iam vir com tudo pra cima dele. Mas que nada. Podia ter ido para uma embaixada. Mas que nada. Tá lá segurando o rojão em defesa da sua honra e dignidade.

Flavinho se melou na primeira curva da política. Já é um refém, um jacaré banguela, que se esconde atrás de um artifício jurídico imoral, concedido de forma vil por um ministro do Supremo que é o resumo em caricatura dos erros cometidos por Lula e Dilma nas nomeações para a casa que deveria ser guardiã das leis.

A onda ainda bate a favor dos Bolsonaros e este episódio não vai criar grandes revoltas e comoções, mas ele mexeu com o lado de lá. Mesmo os aliados de primeira hora do “mito” estão postando mensagens em tom de indignação. Como se quisessem se separar deste episódio prevendo que ele pode se tornar algo maior.

O carnaval, como já disse aqui, deve tornar Queiróz, o cheque de Micheque e o pum de Flavinho em pop stars. E a vida vai continuar depois como se nada tivesse acontecido. Mas a maré tende a virar. E aí esta história ressurgirá forte.

Flávio Bolsonaro assumiu-se como o que é, um falastrão metido a besta, mas que na hora h corre para o colo do pai. Ele, que já desmaiou num debate entre candidatos a prefeito do Rio, não teria coragem para agir sozinho neste episódio. E isso tem sido pouco explorado.

Quem está mais sujo do que pau de galinheiro neste episódio é Jair Bolsonaro, que pode ser delatado por Queiroz, já que participava do esquema recebendo dinheiro na conta de Michele e pagando salário para a filha personal trainer do “motorista”.

Foi papai quem mandou Flavinho ir atrás de Fux. É no papai que as investigações devem mirar. Porque na bozolandia, quem manda é quem paga a conta.

PS: Fórum está sendo processada por Jair Bolsonaro. Estou me inteirando do processo. Mas já adianto à família Bolso, a gente vai até o inferno em defesa da liberdade de imprensa e de expressão. E aqui ninguém tem medo. E nem medinho.