Imprensa livre e independente
18 de maio de 2012, 12h16

Óleo de fritura vira combustível de trator

O óleo de cozinha usado na preparação de alimentos tanto em casa quanto em restaurantes e refeitórios pode se transformar em biocombustível para tratores e caminhões.

O óleo de cozinha usado na preparação de alimentos tanto em casa quanto em restaurantes e refeitórios pode se transformar em biocombustível para tratores e caminhões. O óleo de cozinha usado na preparação de alimentos tanto em casa quanto em restaurantes e refeitórios pode se transformar em biocombustível para tratores e caminhões. Veículos movidos a diesel precisam de pouca ou nenhuma adaptação para rodarem com o óleo de fritura filtrado, preservando o meio ambiente e proporcionando uma economia para agricultores e transportadores de carga. Há várias iniciativas que desenvolvem essa tecnologia social. Uma delas foi promovida pelo Instituto Morro da...

O óleo de cozinha usado na preparação de alimentos tanto em casa quanto em restaurantes e refeitórios pode se transformar em biocombustível para tratores e caminhões.

O óleo de cozinha usado na preparação de alimentos tanto em casa quanto em restaurantes e refeitórios pode se transformar em biocombustível para tratores e caminhões. Veículos movidos a diesel precisam de pouca ou nenhuma adaptação para rodarem com o óleo de fritura filtrado, preservando o meio ambiente e proporcionando uma economia para agricultores e transportadores de carga.

Há várias iniciativas que desenvolvem essa tecnologia social. Uma delas foi promovida pelo Instituto Morro da Cutia de Agroecologia (IMCA). O projeto garantiu à entidade o prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social de 2009. Mais importante do que o processo de conversão dos automóveis, é a forma de conscientização e mobilização da comunidade para separar e coletar o material.

Normalmente, a recomendação da autoridade sanitária é de que o óleo usado seja acondicionado em garrafas PET e descartadas junto do lixo não reciclável, destinado a aterros. Mesmo assim, caso a embalagem seja danificada, o material pode ser derramado no solo e chegar a lençóis freáticos. Estima-se que um litro de óleo vegetal polui até mil litros de água pura. No solo, promove a impermeabilização da área afetada, dificultando a infiltração da água da chuva.

Veja também:  Moro lamenta mudança do Coaf: “faz parte da democracia perder ou ganhar”

Na cidade de Montenegro-PR, foi instituído um sistema de colega para receber e acondicionar o óleo recolhido. Isso envolve alertar a população, explicar os riscos de um descarte inadequado para o meio ambiente. A aposta dos ativistas foi em manter postos de coleta e contar com a colaboração da população devidamente alertada sobre os benefícios ambientais.

Depois de permanecer em repouso por algum tempo para que eventuais resíduos dos alimentos fritos se separem por decantação, o óleo é filtrado. Para cada 10 litros recolhidos, são produzidos seis de biodiesel. Em alguns casos é preciso garantir uma mistura para que a viscosidade do combustível seja adequada a fluir pelo motor. Isso é possível porque há uma variedade grande disponível, elaborados a partir de diferentes sementes oleoginosas – como soja, milho, girassol, canola entre outras.

Por fim, os motores, especialmente de tratores usados por pequenos proprietários rurais, é adaptado. Segundo os pesquisadores, há duas possibilidades. A primeira, mais simples, consiste em instalar um dispositivo que permita que o aquecimento do combustível depositado no tanque. A uma temperatura pouco mais elevada do que a ambiente, o óleo fica menos viscoso e circula menor. Uma alternativa, para alguns tipos de motores, normalmente de veículos comercializados em países do Hemisfério Norte, onde o inverno é mais rígido, é a instalação de velas de ignição especiais. Para isso, o carro precisa ter sido fabricado para receber esse dispositivo.

Veja também:  Governo Bolsonaro e relator negociam novo texto da reforma da Previdência

No caso de agricultores familiares, uma vez convertido o motor de um trator ou caminhão, por exemplo, é possível incentivar o cultivo de oleoginosas como o Pinhão manso (Jatropha curcas) e Tungue (Aleurites fordii). Misturando o extrato prensado dessas sementes com o óleo de fritura filtrado, é possível reduzir o consumo ou até garantir autossuficiência em termos de combustível.

Como separar
• Encerrada a fritura, deixe o óleo esfriar.
• Despeje o óleo em uma garrafa PET, passando uma peneira.
• Feche a garraga e encaminhe para postos de coleta.

Para bares e restaurantes, a sugestão é usar galões de plástico de 20 litros para acondicionar melhor o material.

Conheça outros grupos que usam técnicas semelhantes:

• Em São Paulo-SP e Salvador-BA – Comanche Clean Energy recolhe o óleo doado, basta agendar. Clique aqui para saber como.

Nos EUA, viagem de Easthampton, Massachusetts, para Nova York

Laboratório de Desenvolvimento de Tecnologias Limpas da USP Ribeirão Preto

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum