Imprensa livre e independente
08 de agosto de 2016, 12h36

Olimpíada: Segundo atleta é preso após denúncia de tentativa de estupro

Boxeador foi preso neste domingo (7) na Vila Olímpica após camareira o denunciar por tentativa de estupro.

Boxeador da Namíbia foi detido neste domingo (7) na Vila Olímpica após denúncia de camareira  Por Redação Um boxeador da Namíbia que está no Brasil para competir nos Jogos Olímpicos foi preso neste domingo (7) dentro da Vila Olímpica, na Barra da Tijuca, no Rio,  após ser denunciado por uma camareira por atacá-la e tentar a estuprar. O atleta foi levado por agentes da polícia para a 42ª Delegacia de Polícia no Recreio dos Bandeirantes e segue detido. Sua primeira luta está marcada para esta quinta-feira (11). Este é o segundo caso registrado na cidade desde o início dos Jogos...

Boxeador da Namíbia foi detido neste domingo (7) na Vila Olímpica após denúncia de camareira 

Por Redação

Um boxeador da Namíbia que está no Brasil para competir nos Jogos Olímpicos foi preso neste domingo (7) dentro da Vila Olímpica, na Barra da Tijuca, no Rio,  após ser denunciado por uma camareira por atacá-la e tentar a estuprar.

O atleta foi levado por agentes da polícia para a 42ª Delegacia de Polícia no Recreio dos Bandeirantes e segue detido. Sua primeira luta está marcada para esta quinta-feira (11). Este é o segundo caso registrado na cidade desde o início dos Jogos Olímpicos, no último dia 5, quando o primeiro episódio foi relatado.

Na ocasião, outro pugilista, Hassan Saada, 22, foi preso por atacar e tentar estuprar duas camareiras que limpavam seu quarto. O atleta negou acusações. A embaixada da Namíbia apontou que o Ministério de Relações Exteriores emitirá nota sobre o caso.

Foto: The Namibian 

Veja também:  Aliado de Bolsonaro, governador do RJ lamenta não ter autorização para jogar míssil na Cidade de Deus

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum